Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Em meio à pandemia, vereadores do Recife priorizam nomes de ruas e datas comemorativas

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 24/04/2021 às 10:24
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Leitura:

Com uma previsão orçamentária de R$ 158 milhões em 2021 e com uma reserva financeira de R$ 49 milhões no início de abril, a Câmara de Vereadores do Recife teve, em quase três meses, 132 projetos de lei ordinária discutidos no plenário e nas comissões da Casa.

Apesar do número alto, a maioria é de propostas de datas comemorativas, campanhas de conscientização e alterações de nomes de rua, por exemplo.

As propostas ligadas diretamente às consequências da pandemia de covid-19 são minoria, aproximadamente 25 do total.

LEIA TAMBÉM:

> Justiça determina que governo federal implante plano de comunicação contra a covid-19

> Veja como ficam os horários de funcionamento de igrejas, comércio e demais atividades econômicas a partir de segunda-feira em Pernambuco

Conforme revelou o Blog de Jamildo na semana passada, o Diário Oficial de 14 de abril divulgou o balancete financeiro da Câmara de Vereadores do Recife do mês de março de 2021. Segundo o documento oficial, a Câmara do Recife terminou o março deste ano com R$ 49 milhões em caixa, mesmo após pagar todas as suas despesas.

O valor “sobrou” no caixa dos vereadores, mesmo após efetuarem todas as despesas orçamentárias de R$ 12 milhões em março.

Segundo uma fonte no órgão, sob reserva, a Câmara “não quis” usar este dinheiro para ajudar a população no enfrentamento do coronavírus.

“Espanta que a Câmara tenha este dinheiro em caixa e não tenha feito nenhuma ação para ajuda nos problemas do coronavírus na cidade. Com o fechamento das sessões presenciais, houve um salto na economia com recursos de custeio, surpreendendo que a Câmara tenha R$ 49 milhões em caixa”, explica uma fonte do blog, na ocasião.

Segundo vereadores, sob reserva de fonte, a Câmara Municipal tem “economizado” para comprar uma nova sede, que dê “conforto” aos vereadores e assessores.

Entre as proposições de datas comemorativas de 2021, por exemplo, está a que institui o Dia do Católico, Dia dos Veteranos da Polícia Militar de Pernambuco e o Dia do Patinador no município. Patinador, isto mesmo que você leu.

As propostas constam no site oficial da Câmara de Vereadores do Recife.

LEIA TAMBÉM:

> MPPE quer redução de cargos em comissão na Câmara de Vereadores do Recife: ‘proporção é de 8 a 9 comissionados para 1 servidor efetivo’

> João Campos vai investir R$ 510 mil em tendas para até 2022 nos pontos de vacinação contra covid-19 no Recife

> Prefeitura do Recife divulga protocolos para volta às aulas presenciais nas escolas da rede municipal; confira as regras

Um projeto de lei ordinária pode ser apresentado pelos vereadores. Em seguida, após discussão e deliberação do plenário, segue para sanção ou veto do prefeito do Recife, no caso, agora, João Campos (PSB).

Outras propostas em tramitação na Câmara em 2021 são os eventos e as campanhas de conscientização em um determinado período na cidade. Neste ano, foi proposta, por exemplo, a instituição no calendário oficial de eventos sobre o Dia Municipal da Agroecologia Urbana.

Nomes de ruas, como a proposta de mudança da Rua Sete de Setembro, no Centro do Recife, para que se torne Rua Livreiro Tarcísio Pereira, um ícone do mercado de leitura da cidade, falecido neste ano, também estão entre os projetos predominantes no Parlamento Municipal. Esta proposta é da vereadora Cida Pedrosa (PCdoB).

As pautas ligadas à covid-19 são minoria nos projetos da Câmara de Vereadores do Recife.

Neste ano, por exemplo, foi aprovada a proposta sobre a obrigatoriedade para farmácias aceitarem cópias de prescrições de medicamentos durante a pandemia do coronavírus para a venda de medicamentos controlados, o que é considerado vital por profissionais do setor de saúde.

A essencialidade de serviços, também ligada à pandemia, é discutida na Câmara de Vereadores. Um dos exemplos são as ações de solidariedade, que têm projeto de lei da vereadora Ana Lúcia (Republicanos), para se tornarem atividades consideradas essenciais. A proposta tramita em comissões da Casa.

Outro ponto que tem projetos dos parlamentares é a fila de prioridades na vacinação.

Dois projetos distintos querem a inclusão de grávidas ou puérperas e de motoristas de ônibus e de transporte por aplicativo no grupo prioritário. As propostas são de autoria da bancada do PSOL (Dani Portela e Ivan Moraes) e do vereador Chico Kiko (PP).

Caixa

Apesar da discussão sobre temas peculiares à pandemia, os assuntos que dominam a pauta do plenário em 2021 não são temas diretamente ligados à pandemia do coronavírus. Mesmo assim, a Câmara do Recife afirmou, na semana passada, que “destinou todo o valor das emendas parlamentares, R$ 8 milhões de reais, no ano passado, para contribuir com a Prefeitura da Cidade nas ações de combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Também revogou o aumento salarial dos servidores, conforme recomendação conjunta do Ministério Público de Contas do Estado e do Tribunal de Contas do Estado”.

Na ocasião da revelação pelo Blog de Jamildo sobre o valor em caixa, a Câmara informou que “sobre o valor do fundo especial para aquisição de uma nova sede, é preciso ser publicado para informar à população, aos parlamentares e aos órgãos competentes na fiscalização dos recursos públicos onde estão todos os recursos”.

“Atualmente, o saldo do fundo é do valor de R$ 42.834.641,19 e, conforme foi dito acima, este valor é garantido por lei apenas para aquisição de uma nova sede para o Poder Legislativo. Mas, no balancete mensal divulgado, constam ainda o saldo para as despesas correntes que é de R$ 4.668.284,27 e o saldo das consignações que é de R$ 1.772.584,91”, disse na ocasião.

No Orçamento de 2021 destinado à Câmara, as maiores quedas em relação a 2020 estão justamente em itens ligados diretamente às atividades dos parlamentares, como Desenvolvimento de Atividades Legislativas e Apoio Administrativo às Ações da Câmara.

Esses dois tópicos incluem, por exemplo, salários de servidores, passagens com locomoção, locação de mão de obra, obras e instalações, diárias, serviços de tecnologia, entre outros.

No quesito de Desenvolvimento de Atividades Legislativas, o montante anual passou de R$ 35,2 milhões em 2020 para R$ 32 mi em 2021, retornando a patamar de 2019, anterior ao ano eleitoral, que teve, neste aspecto, despesa de R$ 32,1 milhões.

Últimas notícias