Lula, Dilma, FHC, Ciro Gomes, Boulos e Flavio Dino estarão juntos na live de ato das centrais sindicais

jamildo
jamildo
Publicado em 30/04/2021 às 14:30
Leitura:

De forma unitária, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, Intersindical, Pública e CGTB realizam ato do Dia Internacional do Trabalhador, em formato de live, neste sábado, a partir das 14h, com transmissão da Rede TVT.

A live do 1º de Maio unitário das centrais deste ano terá formato diferente do de 2020 e duração menor. No ano passado, foram quase seis horas de ato virtual. Neste, a previsão é de três horas de duração.

Um total de 18 lideranças sindicais – os nove presidentes das centrais mais nove mulheres dirigentes – falarão ao longo da live, além do presidente da Contag, Aristides dos Santos.

Os ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Dilma Rousseff (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) participarão da live.

Também estarão no ato Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), Manuela D’Ávilla (PC do B), Iago Campos, presidente da UNE, e João Paulo Rodrigues, da direção nacional do MST e representante da Frente Brasil Popular.

Líderes e presidentes de partidos que apoiam a luta das centrais sindicais pela vacina e auxílio emergencial de R$ 600 falarão: a deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PT), os deputados federais Alessandro Molon (PSB) e Luiz Carlos Motta (PL), o deputado federal Baleia Rossi (presidente nacional do MDB), o deputado federal Paulinho da Força (presidente nacional do Solidariedade), Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL, e Luciana Santos (presidenta nacional PCdoB).


Este é o terceiro 1º de Maio unitário realizado pelas centrais sindicais – o primeiro, presencial, foi em 2019 - e o segundo consecutivo em formato virtual, em respeito ao isolamento necessário ao controle da propagação do coronavírus.

O Brasil já ultrapassa as 400 mil mortes por Covid-19, mas vacinou menos de 31 milhões de brasileiros, número inferior a 15% da população.

“Infelizmente, não temos nada a comemorar neste Dia do Trabalhador, com milhões de família orando por seus 400 mil entes mortos. Temos 14 milhões de desempregados, milhares de empresas fechando, milhões de irmãs e irmãos brasileiros passando fome por conta de um governo incapaz e genocida. Mas vamos levantar bem alto as nossas vozes pela vacinação em massa, pelo auxílio emergencial de R$ 600, por mais emprego e democracia. Nosso povo já passou por muitas dificuldades e unidos vamos superar essa fase terrível”, afirma Antonio Neto, presidente da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros).

As falas políticas serão intercaladas por apresentações e depoimentos de artistas sobre o tema deste ano: 1º de Maio pela Vida, Democracia, Emprego, Vacina para Todos e Auxílio Emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia.

Os artistas que se apresentarão no 1º de Maio unitário das centrais sindicais, cantando ou com depoimentos são Chico Buarque, Elza Soares, Chico César, Teresa Cristina, Delacruz, Johnny Hooker, Marcelo Jeneci, Odair José, Aíla, Renegado, Bia Ferreira, Doralyce, Osmar Prado, Gregório Duvivier, Spartakus, Lirinha, Tereza Seiblitz, Ellen Oléria, Paulo Betti.

O ato terá do youtuber Spartacus ao professor e filósofo Silvio Almeida e à nadadora Joanna Maranhão.

Últimas notícias