Com tropa de choque atrapalhada, Fernando Bezerra Coelho terá papel mais ativo na CPI da Pandemia

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 05/05/2021 às 16:20
Divulgação
Fernando Bezerra foi alvejado pela decisão do ministro Walton Rodrigues, do TCU, vetando nomeações de indicados que respondam por ações na Justiça - FOTO: Divulgação
Leitura:

Em reunião nesta quarta-feira (5), no Palácio do Planalto, o governo definiu o ministro da Secretaria-Geral da Presidencia, Onyx Lorenzoni, como coordenador político do grupo que atua na CPI da Covid.

Agora, todos os assuntos relacionados à CPI passarão por ele. O ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, ficará responsável pela coleta de informações nos ministérios e por abastecer com dados a tropa de choque governista na Comissão.

Já a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, vai cuidar dos outros temas envolvendo Congresso que não a CPI.

Até então, senadores aliados vinham reclamando da falta de coordenação no Planalto. Para também organizar a atuação dos senadores dentro da CPI, foram tomadas outras duas decisões.

Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do governo no Senado, vai se tornar integrante da Comissão. Para isso, o governo negociou a troca com o senador Zequinha Marinho (PSC-PA), hoje ocupando uma vaga de suplente. Assim Bezerra terá papel mais ativo.

Além disso, Marcos Rogério (DEM-RO), foi escolhido para ser o senador que irá liderar a atuação do governo entre os senadores governistas, assumindo o papel de coordenador dentro da CPI.

Todos os movimentos foram acertados entre ministros e senadores que estiveram na reunião no Planalto, entre eles também os senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Jorginho Mello (PL-SC).

Com informações do G1

Bolsonaro promete decreto para impedir Estados e municípios de restringir serviços

Últimas notícias