Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Deputados evangélicos questionam mudanças em projeto que trata Igreja como essenciais

jamildo
jamildo
Publicado em 10/05/2021 às 11:40
Leitura:

Bancada evangélica sofre derrota na Alepe. Como disse STF, palavra final sobre abrir igrejas cabe ao governador

Pois bem.

Nesta segunda, os deputados Clarissa Tércio e Joel da Harpa estão questionando as alterações realizadas no Projeto 1094/20 que reconhece as atividades religiosas como atividades essenciais, no Estado de Pernambuco.

De acordo com os parlamentares, a matéria original realmente defendia o reconhecimento da essencialidade das atividades religiosas, no período de calamidade pública, situação de emergência sanitária ou catástrofe natural, mas a alteração realizada pela Comissão de Administração Pública da Alepe não só modificou na íntegra toda a redação do projeto original, como o parágrafo único do artigo terceiro inviabilizou totalmente o cumprimento do projeto.

Isso porque o novo texto diz que, em caso de situações excepcionais, devidamente fundamentadas, o Poder Executivo poderá determinar, por meio de decreto, restrições às atividades presenciais religiosas.

“Na aprovação do projeto na Alepe eu defendi o texto original sem esse parágrafo, que fala do governo fechar as igrejas quando achar conveniente, porque entendo que mesmo em pandemia as igrejas devem permanecer aberta com os cuidados sanitários” afirma o deputado Joel da Harpa.


Na opinião de Clarissa Tércio, esse dispositivo inviabiliza a matéria e tudo continua exatamente como está. Se o governo determinar, restringirá o funcionamento, excluindo, dessa forma o caráter de essencialidade.

“Após fechar as igrejas durante toda a pandemia e ignorar o clamor dos cristãos pernambucanos por seu direito de culto, o governador agora quer fazer espetáculo com esse ato de sanção desse projeto que não garante verdadeiramente o nosso direito”, destacou Clarissa Tércio.

Para ela, a maior prova de que o projeto perdeu a sua essência, foi porque após a alteração, os principais opositores votaram favorável à matéria.

O PL 1094/2019 foi sancionado pelo governador do estado, nesta segunda-feira, com apenas dois integrantes da bancada evangélica, o que reflete o descontentamento e desaprovação da bancada. Na reunião remota em que o projeto foi sancionado só estavam presentes da bancada evangélica o Pastor Cleiton Collins e Dulcicleide Amorim.

Vitória

O projeto é de autoria do deputado Pastor Cleiton Collins (PP). A pauta foi muito debatida na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Para Collins, a sanção reafirma a importância da Igreja.

“A todo tempo a Igreja é importante, mas neste momento de pandemia, é ela quem está próximo da população e cuidar do espiritual. Agora com a sanção, nenhuma igreja será fechada. Pode ter culto on-line ou presencial, mas não pode fechar suas portas. Todas as atividades devem continuar funcionando”, afirmou.

O parlamentar falou ainda a importância do diálogo.

“Esse projeto foi construído junto com deputados na ALEPE e foi entendido pelo nosso governador como algo importante para a população. Sem esse diálogo, não poderíamos avançar. Essa Lei é histórica para o nosso Estado. É uma vitória importante”, avaliou.

Últimas notícias