Arco Metropolitano será discutido em audiência pública na Alepe, nesta quinta

jamildo
Cadastrado por
jamildo
Publicado em 19/05/2021 às 16:40
Leitura:

A sociedade civil, através de suas entidades representativas, deputados estaduais e especialistas no setor de urbanismo e meio ambiente participarão, nesta quinta-feira (20), às 14h, na Assembleia Legislativa, de audiência pública para discutir as alternativas de traçados do Arco Metropolitano, obra viária em processo de licitação por parte do governo de Pernambuco.

A reclamação dos ambientalistas é que os desenhos hoje propostos no edital de licitação e seguidos pelas empresas concorrentes atravessam a APA Aldeia-Beberibe, mais propriamente reservas e fragmentos de Mata Atlântica, no estado.

A audiência foi convocada pelo deputado Wanderson Florêncio (PSC), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Alepe.

A luta por um novo traçado que contorne a APA e evite a degradação da biodiversidade local é encabeçada pelo Fórum Socioambiental de Aldeia, que dispõe deste traçado e quer apresentá-lo como alternativa para o problema.

"Encontramos na Comissão de Meio Ambiente, através do seu presidente, um olhar sensível para uma polêmica que sequer deveria existir, pois deveríamos estar comemorando a chegada do Arco e não lutando para que ele não devaste a nossa região. A realização da audiência pública é um passo importante para envolver todos os interessados na preservação do bom senso e das nossas matas”, disse o presidente do FSaA, engenheiro Herbert Tejo.

Para o presidente da Comissão, o encontro será fundamental para que as partes sejam ouvidas, na tentativa de se manter aberto o diálogo e se chegar a uma solução que viabilize o Arco e, ao mesmo tempo, resguarde a natureza.

“A audiência servirá para que o debate possa ser amplificado e formalizado, escutando o Fórum Socioambiental de Aldeia e o Governo do Estado, em suas diversas áreas. Será uma oportunidade para ouvirmos os prefeitos dos municípios que serão impactados pelo Arco, além de escutar o Ministério Público e as entidades ligadas ao projeto. Reconhecemos a importância do desenvolvimento do Estado, mas também sabemos da necessidade e o dever de proteger a área de Mata Atlântica onde existem nascentes de rio”, afirmou Wanderson Florêncio.

Integram a APA Aldeia-Beberibe os municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Araçoiaba, Paulista, Paudalho, São Lourenço da Mata, Camaragibe e Recife.

A obra terá impacto, direto ou indireto, em cidades como Carpina, Tracunhaém, Nazaré da Mata, Itaquitinga, Aliança, Condado, Goiana e Itapissuma.

O Fórum Socioambiental de Aldeia realiza, no momento, uma campanha sob o título “Arco em Aldeia? Arrudeia!”, corruptela do verbo arrodear.

Entre várias ações de comunicação e articulação com as cidades da APA Aldeia-Beberibe, inclui um abaixo-assinado, hoje com mais de 8.200 assinaturas, que será encaminhado ao governador Paulo Câmara, solicitando a revisão dos traçados propostos pelo governo.

A comissão de Meio Ambiente da Alepe, além do seu presidente, tem como membros titulares os deputados Laura Gomes (PSB), vice-presidente, Henrique Queiroz Filho (PL), João Paulo (PCdoB) e Tony Gel (MDB).

Foram convidados para a audiência pública representantes das secretarias estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado de Pernambuco, de Desenvolvimento Econômico e de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado de Pernambuco; CPRH; Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente em Pernambuco – CAOP/PE; Fórum Socioambiental de Aldeia; Conselho Gestor da APA Aldeia-Beberibe; Reitor da UFPE; e Reitor da UFRPE.

Últimas notícias