Ato em defesa da UFRPE reclama de cortes, reforma administrativa e mortes pelo coronavírus

jamildo
jamildo
Publicado em 20/05/2021 às 16:11
Leitura:

Professores, técnicos-administrativo e estudantes da UFRPE participaram de ato simbólico, no campus em Recife, em defesa das universidades públicas, contra os cortes nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), a Reforma Administrativa (PEC 32/20) e em memória eas quase 450 mil vidas perdidas para covid-19 no país.

Os manifestantes estavam de máscara e levaram álcool 70%.

De acordo com os organizadores, a proposta foi chamar a atenção da sociedade para a difícil situação das universidade e institutos federais públicas, que sofreram um corte orçamentário na média de mais de 20%, a partir da lei orçamentária anual (LOA), e ainda mais um bloqueio do MEC 13,8%.

Os manifestantes levaram cartazes em defesa da UFRPE, camisetas, faixas e balões pretos, "simbolizando o luto do povo brasileiro por tantas vidas perdidas e o desmonte da educação".

Os cortes podem impedir o funcionamento das instituições até o final do ano.

Os sindicatos da UFRPE, a exemplo de outras instituições federais do País, dizem que pode parar de funcionar até o último trimestre de 2021. Isso devido ao corte orçamentário de 21% a partir da Lei Orçamentária Anual (LOA), realizado pelo Governo Federal. Há também um bloqueio de 13,8%, a partir de decreto do dia 22 de abril. Essas severas restrições deixam a instituição sem dinheiro para investimentos, ou seja, compra de equipamentos básicos ou reformas e obras.

A partir das 16h30, a Reitoria e os movimentos docente, técnico-administrativo e estudantil se reunirão numa Assembleia Comunitária contra os cortes e a Reforma Administrativa, realizada no canal da Associação dos Docentes da UFRPE (Aduferpe) no YouTube, para o lançamento oficial da campanha Universidade Pública Importa, Educação Transforma.

Últimas notícias