Secretário do Meio Ambiente: 'Recife caminha para a redução efetiva da emissão de carbono'

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 23/05/2021 às 9:06
Foto: Felipe Ribeiro/JC IMAGEM
Foto: Felipe Ribeiro/JC IMAGEM
Leitura:

*Por Carlos Ribeiro, Secretário do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, em artigo enviado ao Blog

Nos últimos anos, várias cidades seguiram o exemplo do Recife e declararam que o enfrentamento às mudanças climáticas é emergencial. Nesta pauta, a capital pernambucana tem exercido o papel de protagonista em função das práticas proativas que tem adotado. Recentemente, o município reforçou o seu compromisso de se tornar Cidade Carbono Zero ao aderir à campanha Race to Zero ("Corrida para o Zero"), cujo objetivo é neutralizar as emissões de gases causadores do efeito estufa, como o dióxido de carbono, até 2050.

A gestão municipal tem adotado medidas, nos curto e médio prazos - antes da COP26 -, para zerar de vez a emissão líquida de Gases de Efeito Estufa (GEE). Entre elas estão o Plano de Arborização do município, aumento do plantio em toda a capital (uma das estratégias mais eficientes no combate às mudanças climáticas), a expansão da iluminação em LED em função da eficiência energética, a ampliação das ciclovias para incentivar a mobilidade sustentável e as definições de uso e gestão das principais áreas verdes da capital pernambucana, por meio dos planos de manejo, que contemplam 25 Unidades de Conservação da Natureza.

Tratando a questão climática como prioridade, a gestão do prefeito João Campos e da vice-prefeita Isabella de Roldão caminha rumo à mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Para nortear práticas sustentáveis concretas e eficazes, o município conta com o Plano Local de Ação Climática (PLAC), documento estratégico que reúne ações nos eixos de Mobilidade, Saneamento, Energia e Resiliência, para a formular programas e políticas ambiciosas de enfrentamento às mudanças climáticas. Seguindo essas diretrizes e com o engajamento de todas as Secretarias municipais, o Recife caminha para um futuro mais justo, verde e resiliente. Por isso, ao se comprometer com a meta da Race to Zero, a nossa cidade – umas das primeiras do Brasil a tomar essa decisão - se fortaleceu na busca por resultados efetivos, que proporcionem, sobretudo, melhoria da qualidade de vida dos recifenses.

A emergência climática é uma realidade que exige a adoção de ações efetivas, sob pena de enfrentarmos perdas e danos profundos, à medida que as temperaturas aumentam e os impactos se intensificam. Estudos apontam que grandes centros urbanos do porte do Recife são, especialmente, vulneráveis às variações do clima. Para se ter ideia, ocupamos a 16ª posição no ranking das cidades mais vulneráveis do mundo. Além das soluções concretas, esse cenário exige transformações mais profundas. Trata-se de um problema de todos e todas. As nossas escolhas – estilo de vida e consumo – são fundamentais para a construção de um futuro mais resiliente e melhor para a humanidade.

*Carlos Ribeiro é Secretário do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife

Últimas notícias