Waldemar Borges rebate deputado do PSB que chamou Paulo Câmara de 'covarde': 'disparo baiano inconsequente'

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 02/06/2021 às 14:59
Foto: Hélia Scheppa/Governo de Pernambuco
Foto: Hélia Scheppa/Governo de Pernambuco
Leitura:

Após o deputado estadual Alex Lima, do PSB da Bahia, chamar o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, de "covarde", o deputado estadual pernambucano Waldemar Borges rebateu,, nesta quarta-feira (02) o colega de partido.

"O Governador Paulo Câmara é um covarde. Não tem nem a decência de mostrar a cara e pedir desculpa pelos os absurdos que a polícia militar cometeu contra manifestantes", escreveu no Twitter o deputado baiano, na segunda-feira (31).

"Venho repudiar a declaração do deputado estadual Alex Lima, do PSB da Bahia, reproduzida em seu blog, na qual ataca o governador Paulo Câmara. Trata-se de uma atitude leviana desse deputado, lamentavelmente do PSB, que numa reação irresponsavelmente precipitada, vem se somar àqueles que em Pernambuco - principalmente os bolsonaristas - tentam  fazer dos acontecimentos ocorridos em nosso Estado instrumento da luta política local para atingir o governador", afirmou Waldemar Borges, nesta quarta.

O deputado estadual do PSB de Pernambuco também elogiou a postura de Paulo Câmara na condução da crise gerada pelas agressões de policiais militares a manifestantes contrários ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no sábado (29) no Recife. "Desafio ele a apontar qual providência um governante comprometido com o estado democrático de direito deveria tomar frente a esse inaceitável episódio que não esteja sendo tomada por Paulo", diss Waldemar em fala direcionada a Alex Lima.

Para Borges, a fala do deputado baiano agrada a adversários do PSB em Pernambuco e classificou as falas como feitos com "rapidez e inconsequência".

"Os adversários locais do PSB certamente comemoram esse disparo vindo da Bahia. Nós, que travamos aqui a luta pela consolidação dos valores democráticos, rechaçamos. Mesmo porque, na sua rapidez e inconsequência, o disparo baiano parece muito com os que criminosamente foram desferidos no ato. Claro que os daqui são incomparavelmente mais graves, tanto pelas irreversíveis sequelas deixadas nas pessoas, quanto pelo atentado que significa à democracia, enquanto o gesto do deputado baiano revela apenas o oportunismo de um pescador de águas turvas, tentando pegar carona num sentimento de repúdio que todos temos  - inclusive o governador - em relação às truculências ocorridas aqui no último sábado".

Últimas notícias