Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Túlio Gadêlha apresenta projeto para barrar agrotóxico por considerar substância 'nociva à saúdes dos brasileiros'

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 17/06/2021 às 14:02
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Leitura:

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE) apresentou Projeto de Decreto Legislativo (PDL) para barrar a circulação no mercado nacional de um agrotóxico registrado recentemente pelo Ministério da Agricultura.

O agrotóxico é feito pela fenpyrazamina. Para Túlio, a substância é nociva à saúde dos brasileiros.

"De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a fenpyrazamina pode causar sérios danos ao fígado do indivíduo, em caso de exposição repetida ou prolongada pela via oral".

De acordo com Túlio Gadêlha, "segundo o registro no Ministério da Agricultura, a fenpyrazamina pretende ser largamente difundida, representando grande risco à vida humana". A substância está presente, por exemplo, na composição de agrotóxicos utilizados na plantação de alimentos como batata, feijão, soja e tomate.

O PDL do deputado pretende sustar, portanto, a medida do Ministério da Agricultura, que autorizou a comercialização do produto. Não há previsão para apreciação da proposta.

“Além de representar risco à vida humana, o produto é danoso à flora e à fauna, podendo acarretar ainda no desequilíbrio ecológico”, justificou o parlamentar. "Inclusive, a “bula” de utilização do produto - usado para controlar o mofo branco, que ataca diversas culturas agrícolas - alerta para os riscos ambientais".

"No mesmo dia em que o agrotóxico inédito foi liberado, outros 63 genéricos também foram autorizados para o uso dos agricultores, totalizando, somente neste ano, a permissão para a aplicação de 230 produtos desta natureza. O Governo Bolsonaro, inclusive, é responsável pelo aumento expressivo do número de registro de agrotóxicos, quando comparado a mandatos anteriores".

Últimas notícias