Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

SENADOR PIAUIENSE

Ciro Nogueira, um dos líderes do Centrão, aceita convite para assumir Casa Civil do governo Bolsonaro

Diferente de outros casos, foi o próprio Ciro que anunciou a confirmação, e não Bolsonaro. O político do PP fez o anúncio em sua conta oficial no Twitter.

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 27/07/2021 às 9:48
Notícia
Foto: Agência Senado
Senador Ciro Nogueira - FOTO: Foto: Agência Senado
Leitura:

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) aceitou, nesta terça-feira (27), o convite para assumir o Ministério da Casa Civil. Ele participou de reunião com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto nesta terça-feira (27).

O convite a Ciro, um dos principais líderes do Centrão, foi feito há uma semana, mas o senador estava viajando e a confirmação dependia de uma conversa presencial com Bolsonaro. O encontro entre os dois estava programado para segunda-feira, mas o senador, que estava de férias no México, enfrentou um atraso no voo.

Diferente de outros casos, foi o próprio Ciro que anunciou a confirmação, e não Bolsonaro. O político do PP fez o anúncio em sua conta oficial no Twitter.

“Acabo de aceitar o honroso convite para assumir a chefia da Casa Civil, feito pelo presidente Jair Bolsonaro. Peço a proteção de Deus para cumprir esse desafio da melhor forma que eu puder, com empenho e dedicação em busca do equilíbrio e dos avanços de que nosso país necessita”, disse.

De saída do cargo, o atual ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, já conversa sobre a transição com Ciro Nogueira, de acordo com a assessoria do ministro.

Ciro Nogueira é presidente do PP e membro do Centrão, grupo conhecido no Congresso por apoiar governos de diferentes ideologias.

A ida dele para a Casa Civil é uma estratégia de Bolsonaro de se fortalecer politicamente. O presidente tenta estreitar seus laços com o grupo, fundamental para o governo ganhar votações no Congresso em um momento de queda na popularidade, e também busca melhorar a relação do governo com o Senado, onde a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid tem gerado desgastes para o Palácio do Planalto.

A Casa Civil é um dos mais importantes da Esplanada e, além de auxiliar na articulação política junto ao Congresso, atua na coordenação de ações do governo com outras pastas.

Na campanha eleitoral de 2018, o presidente Jair Bolsonaro e aliados faziam críticas à forma de atuação do Centrão, mas agora o discurso mudou.

Em entrevista a uma rádio da Paraíba, na segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a presença do senador no governo e minimizou o fato de ele responder a investigações em curso no Supremo Tribunal Federal (STF). Bolsonaro disse ainda que, se fosse levar em consideração esse critério, “perderia” quase metade do Congresso, em referência a outros parlamentares também na mira de processos ou inquéritos.

"Eu sou réu no Supremo, sabia disso? No caso da (deputada) Maria do Rosário. Então, eu não deveria estar aqui (na Presidência). Culpada, a pessoa só é depois de transitado em julgado (o processo)", disse Bolsonaro.

Comentários

Últimas notícias