Ditadura nunca mais!

'Democracia é inegociável', afirma presidente da CPI da Pandemia

Reação dos senadores foi feita nesta terça-feira, na abertura dos trabalhos

JC
JC
Publicado em 10/08/2021 às 10:31
Senado/Divulgação
Não estranhe o amigo leitor se o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), tiver de pedir arrego à Polícia Legislativa para abrandar os ânimos - FOTO: Senado/Divulgação
Leitura:

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM) abriu a reunião de hoje lendo uma nota oficial em que condena o desfile de blindados realizado na Esplanada dos Ministérios.

O parlamentar disse que o Brasil passa por um momento grave e o presidente comandou uma lamentável ação para intimidar parlamentares e opositores.

Conforme a nota, Jair Bolsonaro tentou demonstrar força, mas evidenciou a fraqueza de um presidente acuado e acusado de corrupção.

— As forças jamais podem ser usadas para intimidar a população e adversário políticos legitimamente constituídos. Não há previsão constitucional para isso — afirmou Omar Aziz, que disse ainda que a democracia é inegociável.


Ao comentar o desfile militar, o senador Otto Alencar (PSD-BA) afirmou que não foi a primeira vez que o presidente Jair Bolsonaro tentou intimidar o Congresso Nacional. Mas, segundo ele, a estratégia não tem dado certo, pois os senadores não vão se intimidar e nem recuar. Para Otto, o presidente deveria se preocupar com a inflação, com as pessoas que perderam a vida na pandemia e com a geração de emprego e renda para 15 milhões de desempregados. Porém, acrescentou, nada disso o comove, apenas a necessidade de proteger o mandato.

Ao falar como líder do MDB, o senador Eduardo Braga (AM) condenou a ação e afirmou que “todo poder emana do povo e em nome do povo será exercido”.

 

Comentários

Últimas notícias