receita da morte

Diretor afirma na CPI da Covid que farmacêutica pagou anúncios para promover tratamentos sem eficácia

Vitamedic patrocinou manifesto da Associação Médicos pela Vida

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 11/08/2021 às 15:00
Jefferson Rudy/Senado
Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do diretor-executivo da farmacêutica Vitamedic. O objetivo é esclarecer questões sobre as vendas do "kit covid", um conjunto de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus. - FOTO: Jefferson Rudy/Senado
Leitura:

A CPI da Covid está mostrando que a desinformação ajudou muitas empresas a ganharem dinheiro fácil, colocando a vida das pessoas em risco.

O diretor-executivo da farmacêutica Vitamedic, Jailton Batista, foi chamado para falar sobre as vendas de um conjunto de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus, chamado “kit covid”.

Em resposta a Renan Calheiros (MDB-AL), Jailton Batista confirmou que a Vitamedic patrocinou propaganda da Associação Médicos pela Vida.

Segundo o depoente, a empresa assumiu o custo da veiculação de um manifesto da entidade em jornais em 16 de fevereiro sobre "medicamentos contra covid-19".

O relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou antes de começar o depoimento de hoje que o secretário-executivo da Vitamedic, Jailton Batista: "Havia um sujo interesse empresarial que precisa ser investigado" afirmou.


Para se sair, Jailton afirmou que Vitamedic nunca vendeu ivermectina ao governo. A crítica era de que tenha estimulado a automedicação, levando as pessoas a se arriscarem a contrair a doença imaginando que haveria um remédio.

Ao afirmar que a Vitamedic não vendeu ivermectina para o governo federal, Jailton explicou ao relator, Renan Calheiros (MDB-AL), que a empresa também comercializa outros medicamentos do “kit covid”, como polivitamínicos, corticóides, antitérmicos e analgésicos.

A Vitamedic teve faturamento de R$ 200 milhões em 2019, R$ 540 milhões em 2020 e R$ 300 milhões até julho de 2021, segundo o diretor-executivo da empresa.

Somente com a ivermectina, a empresa faturou R$ 15,7 milhões em 2019, número que passou a R$ 470 milhões em 2020 e, de janeiro a maio deste ano, está em R$ 264 milhões.

 

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), conversou com jornalistas sobre os próximos passos da investigação. Ele também falou da expectativa para o depoimento de hoje. Disse que quem deveria ser ouvido, conforme o requerimento aprovado, seria o dono da farmacêutica Vitamedic, José Alves Filho, e não o diretor-executivo, Jailton Batista.

— Não era para estar aqui um senhor que não é o responsável. O responsável é o dono da Vitamedic.

 

 

Comentários

Últimas notícias