no PTB

Coronel Meira afirma que postura de Fernando Coelho inviabilizou nome de Miguel Coelho ao Governo do Estado

Na campanha municipal, com a mesma política de veto, bolsonaristas puxaram o tapete do candidato do Democratas Mendonça Filho

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 11/08/2021 às 21:45
PTB/Divulgação
"O bolsonarismo em Pernambuco não marchará com Miguel Coelho", diz Meira. - FOTO: PTB/Divulgação
Leitura:

O Coronel Meira, que sempre se apresenta como ferrenho Bolsonarista, disse nesta quarta-feira (11), de Brasília/DF, que a candidatura do Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB/PE) ao Governo de Pernambuco, teria se inviabilizado completamente depois que seu irmão, o deputado Federal Fernando Filho (DEM/PE), votou contra a PEC 135/2019 do "Voto Impresso Auditável" no Brasil, de autoria da deputada Federal e presidente da CCJ da Câmara Bia Kicis (PSL/DF).

"Conversei com várias lideranças políticas do país e recebi diversas ligações de conservadores de Pernambuco, que estavam, assim como eu, revoltados com o posicionamento contrário dos Coelhos, junto à pauta que defende a auditagem e mais segurança nas urnas eletrônicas do Brasil. É um absurdo que o filho do líder do Governo no Senado atue contra o 'voto impresso', uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro em prol da lisura e da democracia nas eleições futuras em nossa Nação! Esta PEC visa, fundamentalmente, aprimorar, assegurar que o voto do eleitor foi realmente para quem ele votou! Ficou feio para todos os parlamentares que foram contra", disse Meira.

O Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB/PE) é líder do Governo federal no Senado e pai do Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho além do deputado federal Fernando Bezerra Filho.

"Com sua postura, Fernando Filho complicou o acerto de apoio do Governo Federal. O prefeito Miguel Coelho vem há tempos tentando viabilizar sua candidatura junto aos conservadores, porém, sua família acabou de afundar qualquer pretensão de alinhamento com o presidente e a direita", afirmou Meira.

O novo PTB lembrou ainda que, na última terça-feira (10), o senador Fernando Bezerra Coelho se alinhou com os demais parlamentares que se manifestaram contrários à apresentação dos militares em Brasília.

“Estamos em trincheiras distintas, mas somos do parlamento brasileiro. Eu tenho uma história nesse Congresso Nacional, sou subscritor da Constituinte cidadã. Eu aposto na democracia, eu aposto no estado de direito democrático. É por isso que quero compartilhar as preocupações de todos que aqui reverberaram”, falou FBC, líder do governo.


"É lamentável a postura do senador Fernando Bezerra Coelho, que tenta supor que o presidente estaria tentando intimidar o congresso nacional. Como é sabido, a realização deste evento ocorre todos os anos, e que o referido ato estava marcado há muito tempo, porém, por coincidência, o desfile caiu no mesmo dia da votação da PEC do voto impresso, na Câmara. A verdade é que a oposição usou disso para fazer seus estardalhaços em forma de promoção política, se vitimizando e acusando o presidente Jair Bolsonaro como sempre fizeram. São uns irresponsáveis; é absurdo o que eles estão fazendo com o Governo e com a Nação. O bolsonarismo em Pernambuco não marchará com Miguel Coelho".

Comentários

Últimas notícias