Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Pandemia

Danilo Trento tem habeas corpus para ficar em silêncio na CPi da Covid

Tasso acredita que Trento é parceiro de Tolentino e Maximiano

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 23/09/2021 às 9:50
Notícia
PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO
CPI da Covid no Senado - FOTO: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO
Leitura:

O empresário Danilo Trento comparecerá à comissão protegido por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na noite desta quarta-feira (22).

A decisão assegura ao depoente o direito de ser tratado como investigado e ficar em silêncio para não se autoincriminar durante o depoimento.

O habeas corpus, concedido pelo ministro Luís Roberto Barroso, também assegura a Trento o direito de não assinar termo de compromisso na qualidade de testemunha.

Em 19 de agosto, por iniciativa do relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), a CPI aprovou requerimento ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) solicitando o Relatório de Inteligência Financeira (RIF) de Danilo Trento e da empresa Primarcial Holding e Participações. As informações solicitadas são do período desde 2019 até agosto passado.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou um requerimento para quebras de sigilos telefônico, bancário, fiscal e telemático de Trento, o que não chegou a ser votado pela CPI.

Conforme o parlamentar, Danilo Trento recebeu R$ 630 mil da empresa 6M Participações, que é de Francisco Maximiano, que, por sua vez, já transferiu R$ 92 mil a Trento. Além disso, o senador lembrou que Danilo Trento já alugou jatinho em nome da 6M, e o irmão dele, Gustavo Trento, trabalha na Precisa Medicamentos, recebendo salário mensal de R$ 6 mil.

Em seu requerimento, Tasso Jereissati cita indícios de que Danilo Trento, Francisco Maximiano e Marcos Tolentino são parceiros de negócio há pelo menos cinco anos.

 

Comentários

Últimas notícias