Acomodação

Comando do novo partido gera especulações no DEM e PSL

Quem vai mandar na agremiação localmente foi um dos temas nos bastidores da filiação de Miguel Coelho

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 26/09/2021 às 12:23 | Atualizado em 26/09/2021 às 12:48
Emerson Leite / Democratas
Antônio Rueda, vice-presidente do PSL, e Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis - FOTO: Emerson Leite / Democratas
Leitura:

Nos bastidores da festa de Miguel Coelho, uma das expectativas era a confirmação do nome que ficará responsável pelo partido no Estado, depois da fusão, em Outubro. ACM Neto não cravou nada e pediu a busca de entendimento. No entanto, no meio político, muitos acham difícil que, nomeado presidente da nova sigla, Luciano Bivar, abra mão do comando local. "Vai virar uma rainha da inglatrerra? sem poder mandar na própria casa? Ele pode abrir mão de outros estados, mas Pernambuco dificilmente".

Bivar não apareceu no evento, nem deu explicações.

Interlocutores de Priscila Krause, que estaria insatisfeita com a tomada do Democratas pelos Coelhos, também comentaram o risco de ficarem pendurados no pincel. "E se Bivar não der a legenda? Ele vai dividir poder com alguém? O governador teria dito que Bivar nunca lhe faltou (sugerindo que não faltaria agora)", comentavam.

O ex-ministro e governador Gustavo Krause, luminar do Democratas, também não apareceu.

Nos bastidores, existe a aposta forte de que ela não fica e vai sair candidata a federal ao lado de Raquel Lyra, do PSDB. Nas eleições passadas, ela teve mais de 10 mil votos na cidade do Agreste.

Em evento com a imprensa, na sexta-feira, ao lado de Miguel Coelho, Mendonça Filho comentou, em tom bem humorado, que iria se abraçar com ela, para não deixar sair.

Trindade

Na festa deste sábado, ACM Neto disse que Luciano Bivar, Mendonça Filho e Fernando Filho serão as três figuras exponenciais mais importantes depois da fusão do DEM com o PSL.

Ao falar em concessões e que Bivar será o presidente nacional da nova sigla, deu a entender que ele teria que abrir mão do comando em Pernambuco.

Roteiro ideal

O carismático advogado Antônio Rueda, vice-presidente nacional do PSL, representou o partido na filiação de Miguel Coelho.

Sem citar Luciano Bivar, que não compareceu nem deu explicação, preferiu destacar no seu discurso que Miguel Coelho faria uma gestão disruptiva, focada na busca da eficiência do Estado.

Novos tempos

Ricardo Teobaldo, cacique do Podemos, prestigiou o evento do DEM, subiu no palanque de Miguel Coelho, mas não discursou, hipotencado apoio publico ao novo postulante. Nas eleições passadas, o partido, com Patrícia Domingos candidata, ajudou a sabotar o candidato a prefeito Mendonça Filho no Recife.

Comentários

Últimas notícias