ANÁLISE

Base de Bolsonaro na CPI da Covid cresce mais que oposição nas redes; veja ranking

Comissão serviu de palco para senadores impulsionarem seus perfis nas redes

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 05/10/2021 às 17:17
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Leitura:

A Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga ações e omissões do Governo Federal chega ao fim em breve. Além de debruçar-se sobre questões como negacionismo, corrupção e redes de desinformação, a CPI da Covid também serviu como palco para senadores fazerem conhecidos os seus nomes.

Levantamento feito pelo Blog de Jamildo, deste Jornal do Commercio, mostra como os principais senadores, sejam titulares ou suplentes, da CPI da Covid impulsionaram seu alcance nas redes sociais, especialmente no Instagram, a partir de abril, quando foram iniciados os trabalhos da Comissão. No Facebook, houve crescimento geral, mas não tão expressivo, com uma média de crescimento abaixo dos 23%.

A Comissão Parlamentar de Inquérito é transmitida ao vivo pela TV Senado e retransmitida em diversos canais no YouTube e de TV, como a CNN. Ou seja, seus integrantes ganham tempo na televisão. Além disso, passam a ocupar maior parte do noticiário e são mais procurados para entrevistas, expondo sua imagem.

Marcos Rogério (DEM-RO), senador conhecido pela sua defesa enfática do Governo Bolsonaro, foi quem mais ganhou relevância digital após o início da CPI da Covid. No Instagram, entre março (mês anterior à Comissão) e outubro, ele cresceu 1599,94%, saindo de 22.934 seguidores para 389.865. Aliados como Jorginho Mello (PL-SC) e Luis Carlos Heinze (PP-RS) também se destacaram, com alta de 149,67% e 90,10%, respectivamente.

Do outro lado, Randolfe Rodrigues (Rede-AM), vice-presidente da CPI, também teve desempenho digital notável, crescendo 193,64%, saindo de 115.970 para 340.529, também comparando março com outubro deste ano. Humberto Costa (PT-PE) cresceu 33% e Rogério Carvalho (PT-SE) aumentou 69,33% seu número de seguidores. O ponto fora da curva é Omar Aziz (PSD-AM), que tinha pouco mais de 200 seguidores em abril, crescendo 29982,52%. O baixo número inicial explica a alta porcentagem.

Da CPI da Covid saíram, até o momento, dois presidenciáveis: Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Simone Tebet (MDB-MS). Apesar de ainda inexpressivos nas pesquisas eleitorais para 2022, ambos conseguiram crescer na rede social. Ela cresceu 233,32%, enquanto ele teve alta de 61,85%.

Outros nomes, porém, não obtiveram sucesso em capitalizar o destaque dado pela Comissão. O governista Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) cresceu 20,40% e Renan Calheiros (MDB-AL), mesmo sendo o relator, cresceu apenas 8,67%.

Comentários

Últimas notícias