PANDEMIA

Finalmente, Renan Calheiros lê relatório da CPI que deve indiciar Bolsonaro e mais 70

Após ser adiada, leitura do relatório acontece nesta quarta-feira

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 20/10/2021 às 9:45
EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO
Ao Estadão, o senador Renan Calheiros afirmou que a investigação da CPI seguiu "critérios técnicos" e não teve o objetivo de vazar o inquérito - FOTO: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO
Leitura:

Seis meses após dar início aos trabalhos que ocupariam parcela importante do debate político nacional, nesta quarta (20) será lido o relatório final da CPI da Covid. Após o recente adiamento, o relator Renan Calheiros (MDB-AL) vai ler o texto em audiência marcada para às 10h. O documento deve pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), além de, aproximadamente, outras 70 pessoas e duas empresas, com um total de 24 crimes.

A apresentação do documento, porém, não é seguida imediatamente pela votação. De acordo com Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid, os senadores poderão votar sobre a aprovação do relatório na próxima terça-feira (26).

Espera-se que a leitura seja concluída ainda nesta quarta. Caso isso não ocorra, a sessão pode ser suspensa e retomada no dia seguinte. Vale lembrar que somente o colegiado vota. O colegiado é composto por onze senadores titulares, dos quais sete são de oposição ao Governo ou independentes (o chamado G7) e quatro formam a base de Bolsonaro.

Racha sobre relatório final da CPI da Covid

A leitura nesta quarta acontece após os senadores do chamado G7 se reunirem para resolverem suas divergências sobre o documento. Segundo versão vazada à imprensa, o presidente Jair Bolsonaro seria acusado de genocídio, o que não deve mais ocorrer.

Como comentou o senador Omar Aziz (PSD-AM), o grupo decidiu trocar o termo "genocídio" por "crime contra a humanidade". Vale lembrar que Alessandro Vieira (Cidadania-SE), discordando de Renan, chegou a começar a produzir um relatório paralelo.

 

Comentários

Últimas notícias