Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

ENTREVISTA

Fernando Ribeiro, presidente eleito da OAB-PE: "Somos todos advogados, estamos no mesmo barco"

Vencedores da eleição para presidência e vice-presidência da OAB-PE, Fernando Ribeiro Lins e Ingrid Zanella conversam com o Blog de Jamildo

JAMILDO MELO Augusto Tenório
JAMILDO MELO
Augusto Tenório
Publicado em 19/11/2021 às 17:45
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fernando Ribeiro Lins, Presidente eleito da OAB-PE, é entrevistado na TV JC. - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Eleitos presidente e vice-presidente da Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB-PE), Fernando Ribeiro Lins e Ingrid Zanella terão o desafio de governar o órgão de classe após uma eleição definida por apenas 0,8% dos votos.

Os advogados, parte do movimento Advocacia Mais Unida, adotaram o esperado tom de conciliação em entrevista concedida aos jornalistas Jamildo Melo e Augusto Tenório, do Blog de Jamildo, deste Jornal do Commercio.

Anunciados na candidatura como "co-presidentes", eles sentaram juntos e responderam todas as perguntas de forma complementar, sem deixar o colega comentar sozinho os questionamentos e temas levantados na entrevista. A dupla também comentou a relação da OAB Pernambuco com a política.

A conversa aconteceu na quinta-feira (18), antes da notícia de que Almir Reis, da chapa Renova OAB, decidiu judicializar o resultado apresentado na última terça (16).

Jornal do Commercio: O que vocês aprenderam ao longo desse processo, que se mostrou até desgastante na reta final?

Fernando Ribeiro: O que a gente mais aprendeu foi sobre o cuidado que devemos ter no dia a dia das eleições, porque passado o período eleitoral, somos todos advogados, todos estamos no mesmo barco. Não adianta a gente esticar a corda até um ponto e depois as relações não se reestabelecerem. O período eleitoral é importante, é um momento democrático, a classe escolhe seus dirigentes, mas temos que ter cuidado. Diferente da política partidária, o advogado no dia seguinte ele está no fórum encontrando colegas. É muito importante o cuidado com o relacionamento.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fernando Ribeiro Lins, Presidente eleito da OAB-PE, é entrevistado na TV JC. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Ingrid Zanella: O grande ensinamento que a gente tira desse momento é que a OAB é uma entidade coletiva, a gente precisa conversar e caminhar ao lado dos 50 mil advogados de Pernambuco. A eleição, a campanha acabou, agora a gente vai pegar esse ensinamento e trabalhar junto com esses advogados. A classe volta de mãos dadas para um fim único, que é melhoria e construção da advocacia como um todo, não existe mais oposição.

Jornal do Commercio: A eleição mostrou uma classe dividida, com uma diferença muito pequena de votos. Como enfrentar três anos de mandato com essa divisão?

Fernando Ribeiro: Acho que o momento pode ter acirrado um pouco, o momento de país traz esse acirramento para dentro da eleição da Ordem, o que não é bom. Eu sempre defendi, juntamente com Ingrid, um certo distanciamento que devemos ter da política partidária. Estamos tranquilos com relação a isso, porque o que vamos gerir é exatamente os interesses de toda a advocacia pernambucana. (...) Tenho certeza que, quando a gente assumir, o clima vai estar mais tranquilo, pacificado, para fazermos o melhor para a advocacia pernambucana.

Ingrid Zanella: Na advocacia não existem diferenças que nos separam, cada um tem sua convicção, sua preferência, mas o que nos une é a advocacia. (...) A OAB nunca teve muros, quem quiser trabalhar é mais que bem-vindo, a gente precisa de mais pessoas engajadas em fazer mais pela classe. Acabou a divisão e a campanha, somos todos advogados e temos que estar juntos, construindo uma OAB colaborativa e participativa. O que eu e Fernando estamos fazendo desde ontem é pregar a união. A OAB é de todos.

Jornal do Commercio: O nome do movimento é Advocacia mais Unida e vocês sempre se mostraram como conciliadores. O outro lado, que tinha suas ideias, recebeu também votação expressiva. Como acolher essas demandas dos votantes para caminhar para uma melhor advocacia?

Fernando Ribeiro: O nome do movimento não é atoa. Foi exatamente por perceber esse período difícil para a advocacia, principalmente com a pandemia, que a gente tem esse objetivo da união. O momento de acirramento aconteceu, mas não pode passar da terça passada. Muitos advogados que estavam do outro lado precisam da instituição, da Caixa de Assistência (CAAPE), da Escola Superior de Advocacia (ESA), precisam da OAB. O colega, quando tem uma prerrogativa violada, vai ser socorrido. Nesse momento, tenha certeza, a OAB não vai perguntar em quem ele votou.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fernando Ribeiro Lins, Presidente eleito da OAB-PE, é entrevistado na TV JC. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Ingrid Zanella: Saber ganhar é importante, a gente quer unir, quer agregar, e saber perder também é importante. A gente deixa um legado na campanha, mas continua deixando um legado quando ela acaba. Desde a campanha a gente prega a união, a gente espera que isso aconteça de todos os lados, a gente quer agradar, trabalhar junto, tem muita coisa boa a ser feita. OAB é um muro, a barreira da democracia, da cidadania. A classe unida faz com que nossa instituição seja forte. Existe um lado que se sente o vencedor, mas a classe precisa se sentir vitoriosa.

Jornal do Commercio: Vocês fazem parte de um grupo que está há quinze anos no poder. Qual vai ser o ponto de destaque, de diferenciação, da nova gestão?

Fernando Ribeiro: O principal foco vai ser o avanço das conquistas. O que temos visto na gestão de Pedro Henrique, de Ronnie Duarte e de Bruno Baptista e Ingrid Zanella, foram conquistas importantes para a advocacia. Hoje em dia, o jovem advogado quando entra na instituição e recebe sua carteira da OAB tem um conjunto de benefícios, é recepcionado, orientado sobre como usufruir dos benefícios da CAAPE (Caixa de Assistência dos Advogados de Pernambuco). Nosso objetivo é poder ampliar, o advogado teve dificuldade no período de pandemia, mas queremos dar apoio para ele perceber que tem a instituição ao seu lado. Temos o compromisso de manter o valor da anuidade como uma das mais baratas do país, hoje em dia é a quinta mais barata, e chegar até a mais baratas do país. Nessas gestões, um presidente sempre tem deixado a Ordem melhor para o seu sucessor e vamos continuar avançando.

Ingrid Zanella: A gente fala co-presidente porque existe um simbolismo nisso. Nessa gestão foi nosso compromisso a gente prezar por uma maior participação da mulher em cargos de gestão, em cargos de diretoria, tanto que conquistamos a paridade, a cota racial nesta gestão. Sobre mudança: temos 60% de renovação na nossa chapa, pra agregar o jovem advogado, o advogado do interior, a advocacia negra. Nos renovamos para possibilitar que a advocacia cresça e se sinta representada. Esse simbolismo mostra como somos parceiros, como estamos juntos e acreditamos um no outro e faremos muito pela advocacia, ao lado dos advogados, queremos uma gestão compartilhada.

Jornal do Commercio: A chapa adversária reclamou, alegando que as eleições não foram limpas. Vocês evitaram comentar, mas queria saber o que vocês esperam da oposição nos próximos três anos.

Fernando Ribeiro: A gente até estranha, porque no dia da eleição é preciso apontar no momento a irregularidade, não deixar pra comentar depois em jornal. Já que não houve essa postura, a gente estranha a declaração. Sobre a questão da oposição durante a gestão, temos muita tranquilidade, em razão dos compromissos que a gente tem mostrado pra advocacia. Em primeiro plano a questão da transparência, que hoje em dia o advogado vê receitas e despesas de recursos nos sites. Não temos medo de oposição, de cobranças da classe, nosso compromisso é realmente dar mais transparência às nossas ações. Todos esses advogados que participam da OAB não recebem remuneração, são trabalhos honoríficos. Nosso propósito é trazer mais transparência, dar nossa contribuição para a OAB, uma instituição importante não só para a advocacia, mas para toda a sociedade.

Ingrid Zanella: Quem não pode perder nesse processo eleitoral é a advocacia. Não pode a partir desse momento acusar um processo eleitoral, dizer que houveram falhas, dizer que a eleição não foi limpa. Já passaram horas da eleição, se algum lado acha que existiu irregularidades, elas devem ser apontadas na hora. Se existiram, alguém estava esperando o fim do processo eleitoral para saber se seria beneficiado ou não? Vamos saber perder e ganhar, a classe jamais pode sofrer com um processo eleitoral.

Jornal do Commercio: Quais devem ser as ações prioritárias, já no ano que vem, que vocês imaginam lançar para lançar as bases da nova gestão?

Fernando Ribeiro: A questão da valorização da advocacia, o advogado tem sofrido muito nesse período de pandemia. Acho muito importante mostrar oi valor da advocacia para toda a sociedade, tem um projeto, uma campanha de valorização da advocacia forte para defender os direitos do cidadão. 

Jornal do Commercio: Entra nisso o seu projeto do advogado dativo (profissional que não pertence à Defensoria Pública, mas exerce o papel de defensor público)?

Fernando Ribeiro: Sim, é uma das coisas mais importantes. É um projeto apresentado pelo Poder Executivo, tem de ser iniciado por ele, foi encaminhado à Alepe. Devem ocorrer algumas alterações, mas esperamos que no início do próximo ano o projeto esteja em funcionamento. Isso vai facilitar, muitos processos ficam parados porque não tem advogado.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fernando Ribeiro Lins, Presidente eleito da OAB-PE, é entrevistado na TV JC. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Ingrid Zanella: O foco tem que ser também tem que ser trabalhar a tecnologia e a inovação para ajudar e ter projetos para a jovem advocacia, a garantia de uma defesa maior das prerrogativas da mulher advogada, possibilitar que tudo do Recife chegue às 25 subseccionais.

Jornal do Commercio: Já formaram as equipes?

Fernando Ribeiro: A gente agora está no período de fazer uma equipe de transição.

Jornal do Commercio: Mas precisa, já que são do mesmo grupo?

Fernando RibeiroÉ importante porque vai mudar bastante, temos 60% de renovação, tem muita gente nova. Isso é importante porque nas regras de compliance que a gente implementou há o compromisso da criação de equipe de transição.

Jornal do Commercio: A OAB tem uma participação na sociedade muito forte. Já possuem alguma campanha?

Ingrid Zanella: A gente precisa manter todas as ações desenvolvidas pela Caixa de Assistência, que tem esse braço assistencial da advocacia, com rede de proteção às mulheres advogadas vítimas de violência doméstica, ajuda financeira aos advogados que precisaram em face da pandemia, as 2,9 mil bolsas também se coadunam como ação social, pois a gente possibilitou que a educação chegasse pra todos. Vamos continuar e ampliar, a pandemia não acabou e a OAB e a CAAPE precisam estar preparados.

Jornal do Commercio: Ano que vem se espera uma grande tempestade, com uma eleição muito polarizada. Como se manter distante da polarização?

Fernando Ribeiro: A questão federal ela vai ser tratada pelo conselho federal da OAB. No caso de Pernambuco acho que o presidente Bruno Baptista fez uma gestão muito pontual nesse lado, da questão do acompanhamento, da defesa das eleições limpas. A nossa ideia é andar na mesma linha, para poder cobrar, mas sempre com esse cuidado. Acho que a instituição deve ter um certo limite de envolvimento para não se pensar que a OAB tá tomando partido. Mas ela vai atuar de forma efetiva pelas eleições limpas, para que a população seja bem informada, para que não se perca tempo na questão de desinformação, que é um grande mal no país e no mundo.

Ingrid ZanellaNunca a OAB de Pernambuco se furtou a atuar quando a democracia, a cidadania ou os direitos humanos estavam em xeque ou precisavam de uma atuação mais altiva da gente. Quando falamos em Direitos Humanos e acesso à Justiça, tivemos diversas intervenções, pleiteando que não houvesse o fechamento de comarcas, o acesso à Justiça de forma ampla, que o Tribunal não parasse. Toda vez que a OAB tinha competência, nunca nos furtamos. Na campanha de eleição de prefeito, fizemos um pacto por eleições limpas, criando um observatório para que as informações chegassem aos eleitores com maior cunho de verdade possível, pois a fake news é um desserviço à democracia.

Jornal do Commercio: O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, está sendo cotado para assumir candidatura no Rio de Janeiro, ou até nacionalmente. Não há como enclausurar a entidade para que não apareçam lideranças ou eventuais candidaturas. Vocês temem uma politização da Justiça ou uma judicialização da política?

Fernando Ribeiro: Essa pergunta me lembra o livro Como os advogados salvaram o mundo (José Roberto de Castro Neves, 2018). Ele mostra que nessas questões históricas sempre há o envolvimento de algum advogado. A atividade profissional, por ter esse cunho social, ele passa a participar não só como auxiliar jurídico, mas como parte mesmo. Vamos aguardar para ver como as coisas vão se encaminhar...

Jornal do Commercio: Boa saída...

Ingrid Zanella: A OAB não tem partido, nós somos independentes. Nós defendemos o advogado, a advogada, os direitos humanos, não temos envolvimento partidário. Cada um é livre para ter suas convicções e colocar seus objetivos políticos, desde que isso esteja fora da OAB-PE. Isso não traz nenhum demérito para nenhum de nós.

Jornal do Commercio: O que a gente não perguntou e é importante? Pode falar.

Ingrid Zanella: A OAB deve ser uma entidade mais conhecida pela sociedade, precisamos dialogar com a classe mas também com a sociedade, porque existem lutas que envolvem todos. Quando a gente fala em fechamento de comarca, é uma luta da sociedade, imagine você tirar o judiciário de uma cidade. De 43 [comarcas autorizadas a fechar pelo TJPE], só foram fechadas 13. É importante mostrar o papel da OAB para a sociedade, uma instituição democrática. Queria agradecer pela confiança que nos foi dada, contem com a gente, teremos uma gestão compartilhada. Acabou a eleição, não há nada que nos separe.

Fernando RibeiroTemos que focar no Estado Democrático de Direito, ter esse cuidado na consolidação das instituições. Tenho certeza que a OAB Pernambuco pode dar uma grande contribuição quanto a isso.

Comentários

Últimas notícias