PANDEMIA

Simepe também se posiciona contra realização de festas e Carnaval: 'Imprudência'

Sindicato dos Médicos de Pernambuco citou percalços enfrentados pela categoria e riscos de nova onda de contágio por Covid-19

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 28/11/2021 às 16:38
SERGIO BERNARDO/ACERVO JC IMAGEM
Com relação à permissão de eventos privados para os festejos do carnaval, Cremepe diz que não se pode, neste momento, proibir apenas as festividades de rua para o público em geral e permitir que ocorram festas para aqueles que podem pagar entrada em eventos privados - FOTO: SERGIO BERNARDO/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Reforçando o sentimento geral de apatia em relação ao Carnaval de 2022, o Simepe se posicionou contra a realização do evento. O sindicato, assim como o Cremepe, pede atenção aos riscos de um novo surto de Covid-19 caso aconteçam aglomerações nas festas de fim de ano e no período carnavalesco.

"Os médicos de Pernambuco enfrentam, há dois anos, uma pandemia mortal e, sem hesitar, se colocam como guarda avançada nesta batalha. Contudo, precisaram superar medos, angústias isolamento de suas famílias e horas ininterruptas de trabalho árduo. Além disso, muitos precisaram superar a própria doença e alguns perderam sua vida para esse vírus que ainda está entre nós", comentou o Sindicato dos Médicos de Pernambuco - Simepe, em nota.

A organização, além de citar os percalços físicos, mentais e emocionais enfrentados pela comunidade médica durante a pandemia de covid-19, alerta para a nova onda de casos na Europa, onde barreiras sanitárias estão sendo reerguidas.

"O Simepe, preocupado com a saúde dos médicos e do povo pernambucano, vem a público se posicionar contrário às aglomerações das festividades de fim de ano como da imprudência de pensar em Carnaval para 2022, ainda mais neste momento em que os números da contaminação começam a arrefecer", finaliza o sindicato em nota.

Na última semana, o Velho Continente apresentou a maior média de novos casos desde o início da pandemia.

Além disso, os países europeus sofreram com a maior média de mortes por covid-19 desde fevereiro último, com 5,2 mortes por milhão de habitantes em sete dias, segundo o Our World in Data.

Comentários

Últimas notícias