PERNAMBUCO

Ambulância de Gravatá é detida pela Polícia Rodoviária; equipe fica em posto da PRF

Veículo foi apreendido por causa de multas em aberto. Prefeitura diz que irregularidades ocorreram na gestão anterior, mas já foram quitadas

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 07/12/2021 às 15:20
Cortesia
Ambulância de Gravatá foi detida pela Polícia Rodoviária Federal - FOTO: Cortesia
Leitura:

Uma ambulância do município de Gravatá foi detida pela Polícia Rodoviária Federal nesta terça-feira (7), deixando técnicos e enfermeiros num posto da PRF. O caso acontece por causa de multas aplicadas ao veículo. Segundo a Prefeitura do município, as penalidades ocorreram na gestão passada.

Com o veículo apreendido pelas autoridades da Polícia Rodoviária Federal, o grupo de trabalhadores da saúde ficou num posto localizado a cerca de cinco quilômetros do município. Foi informado ao Blog que um veículo foi enviado para realizar o transporte dos enfermeiros e técnicos.

Segundo a Prefeitura de Gravatá, isso ocorreu porque três multas aplicadas no final do ano passado, na gestão anterior, estavam em aberto. Os débitos, porém, já foram quitados.

"O trâmite normal é que a administração recorra e justifique as infrações, como excesso de velocidade decorrente de socorro a uma vítima, o que não foi feito na administração passada. Ainda: caso o recurso não venha a ser acatado, o valor devido decorrente das multas deverá ser cobrado diretamente do condutor. O que também não ocorreu. Com o encerramento do prazo para recurso, houve a retenção do veículo", explicou o executivo municipal.

Nota da Prefeitura de Gravatá sobre a apreensão da ambulância

Confira, na íntegra, a nota enviada pela Prefeitura de Gravatá sobre o ocorrido:

A respeito da apreensão de uma ambulância da Prefeitura de Gravatá pela PRF, a Secretaria de Saúde esclarece que havia três multas em aberto que foram aplicadas no final do ano passado, ainda na gestão anterior. O trâmite normal é que a administração recorra e justifique as infrações. Por exemplo: excesso de velocidade decorrente de socorro a uma vítima. O que não foi feito na administração passada. Ainda: caso o recurso não venha a ser acatado, o valor devido decorrente das multas deverá ser cobrado diretamente do condutor. O que também não ocorreu. Com o encerramento do prazo para recurso, houve a retenção do veículo. Ainda assim, nenhum atendimento foi comprometido, uma vez que ambulância estava retornando a Gravatá, após um atendimento. Em tempo: os débitos foram devidamente quitados.

Comentários

Últimas notícias