Combate ao vírus

André Longo fala na possibilidade de novas restrições em Pernambuco

Decisão sobre Carnaval esta prevista para ser anunciada na semana que vem

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 07/01/2022 às 13:32
Foto: Heudes Regis/Governo de Pernambuco
Foto: Heudes Regis/Governo de Pernambuco
Leitura:

No evento da Amupe desta sexta com Paulo Câmara, as demandas colocadas pelos prefeitos se concentraram na falta de insumos gerada pelo aumento repentino da demanda e na preocupação com eventos privados, na véspera do Carnaval. Jaboatão, Olinda e Recife já anunciaram a suspensão das festas.

“Todos esses pontos estão sendo levados em consideração e serão analisados na reunião do Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 na próxima segunda-feira. Uma série de temas serão abordados, inclusive a possibilidade de novas restrições”, afirmou o secretário André Longo.

O governador Paulo Câmara se reuniu, na manhã desta sexta-feira (07.01), por videoconferência, com prefeitos de todas as regiões do estado para compartilhar o atual momento da pandemia da Covid-19 e a aceleração dos casos de Influenza.

Ao menos três prefeitos pediram a palavra e defenderam a redução de capacidade dos eventos privados, entre eles Pel Lages (São José da Coroa Grande), Marcondes Sá ( Salgueiro) e Manoel Botafogo (Carpina). Nenhum dos demais argumentou contra.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, explicou aos gestores municipais os atuais dados sanitários em Pernambuco.

Segundo Longo, Pernambuco já vive uma epidemia de influenza, a H3N2, dentro da pandemia da covid-19.

“Hoje, percebemos uma maior circulação de H3N2 do que de covid-19. É bem possível que, daqui um curto tempo, a variante omicron seja a cepa predominante em Pernambuco, segundo um estudo da Fiocruz Pernambuco que vamos receber hoje. Desde já, estamos em um movimento contínuo de abertura de leitos em todas as macrorregiões e contamos com os municípios para traçar ações de combate em parceria, queremos o envolvimento de todos os gestores”, disse o secretário.

André Longo voltou a recomendar o uso de máscara, testagem da população e pediu que os municípios reforçassem a busca ativa para vacinar as pessoas com mais de 60 anos com a dose de reforço. “São as pessoas mais vulneráveis à ômicron. São mais de 500 mil pernambucanos que ainda não tomaram a dose de reforço. Precisamos fortalecer esse processo de vacinação para reduzir os impactos da nova variante aqui em Pernambuco”, argumentou.

A ameaça ocorre na mesma semana que produtores de eventos se reuniram no Recife Antigo e pediram apoio para a realização de eventos fechados, controlados pelo passaporte vacinal.

O presidente da Amupe e 1º secretário da Confederação Nacional de Municípios (CNM), José Patriota, já disse que, em último levantamento, mais de 50 cidades já relataram a Amupe situação sanitária crítica. "Os gestores municipais ensejam o apoio do governo na contenção do surto de gripe”, concluiu.

Comentários

Últimas notícias