ELEIÇÕES 2022

Humberto Costa defende sua candidatura ao Governo e a de Paulo Câmara no Senado

Humberto Costa passa a defender o seu nome como alternativa da Frente Popular na disputa pelo Governo de Pernambuco

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 19/01/2022 às 12:29
REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT
Paulo Câmara, Lula e Humberto Costa se encontraram em Brasília - FOTO: REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT
Leitura:

Em entrevista ao colunista Igor Maciel, no Passando a limpo desta quarta (19), na Rádio Jornal, Humberto Costa (PT) falou sobre o cenário da disputa eleitoral deste ano em Pernambuco. O senador comentou a aprovação da sua pré-candidatura pelo partido e a situação da legenda com o PSB e o governador Paulo Câmara.

"Não mudou nada. Apresentamos meu nome à Frente Popular, entendemos que o PT tem legitimidade para apresentar essa proposição. É um partido que, em Pernambuco, já governou a capital três vezes, tem uma relação, na maior parte do tempo, de proximidade com a Frente Popular e o PSB", iniciou Humberto Costa.

O senador, então, destacou sua carreira política como vereador, deputado estadual e senador reeleito. Ele também colocou-se como figura com trânsito político e experiência administrativa suficiente para assumir o Governo de Pernambuco, citando também sua proximidade com Lula (PT), favorito nas pesquisas.

"Entendemos que eu tenho uma legitimidade para ter o nome levado em consideração. (...) A Frente Popular apresentar uma chapa com o presidente Lula, meu nome para o Governo do Estado e Paulo Câmara como candidato ao Senado, seria algo extremamente forte e fortaleceria muito a participação do nosso estado no Senado. (...) O nome está posto, esperamos merecer ter o nome analisado e avaliado", comentou Humberto,

PT poderia ter vice numa chapa com o PSB nas eleições deste ano em Pernambuco?

Apesar de ter colocado seu nome como alternativa, ainda espera-se do PSB a indicação da cabeça de chapa ao Governo de Pernambuco. Questionado se o PT considera o nome de Teresa Leitão como vice numa candidatura liderada pelos socialistas, Humberto Costa pede cautela.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Senador Humberto Costa e ex-presidente Lula (PT), durante coletiva à imprensa durante passagem por Pernambuco - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

"Não podemos discutir outra alternativa enquanto a nossa alternativa está sobre a mesa, a Frente Popular tem de dizer se acha que meu nome pode ou não encabeçar a chapa. Se a decisão for 'não', vamos discutir o que fazer. Se permanecermos na aliança, vamos discutir quem serão os candidatos. Não podemos colocar o carro na frente dos bois, temos de saber a posição sobre nossa demanda e depois vamos discutir outras oportunidades.

Se Paulo Câmara não for candidato, PSB estaria 'desperdiçando' liderança, avalia Humberto Costa

Ainda na defesa da chapa com seu nome como candidato ao Governo do Estado, Humberto Costa diz não entender o porquê de o PSB não ter como candidatos o ex-prefeito Geraldo Júlio, que já negou candidatura, e Paulo Câmara, que também diz não ser candidato a cargo eletivo em 2022.

SÉRGIO BERNARDO/JC IMAGEM
Humberto Costa e Paulo Câmara - SÉRGIO BERNARDO/JC IMAGEM

"Particularmente, acho que se Paulo Câmara for até o final do governo, será um grande desperdício. É um político que demonstra ser um grande administrador, recuperou as finanças do estado e está fazendo investimentos importantes. Ele demonstra ter competência política, uniu a Frente Popular", opinou Humberto Costa.

Para o senador petista, se o PSB mantiver essa posição, erra ao deixar em casa dois dos seus principais líderes. "Temos o prefeito João Campos, o ex-prefeito Geraldo Júlio e Paulo Câmara. Sinceramente, nunca vi uma coisa como essa, ter duas lideranças como essas e essas pessoas estarem, depois da eleição, cada um em sua casa, desperdiçando uma experiência, uma capacidade e uma competência", completa.

Comentários

Últimas notícias