Eleições 2022

'Se o PSB definir candidato, Humberto Costa está fora', afirma Lula

Líder do PT diz que entende situação do PSB em Pernambuco

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 19/01/2022 às 13:58
Reprodução
Renata Campos, Lula e Paulo Câmara, durante visita do ex-presidente ao Recife - FOTO: Reprodução
Leitura:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, em entrevista hoje a sites de esquerda que o apoiam, que mantém afinidade com o PSB, mas a sigla aliada tem que respeitar a importância do partido. O petista também admitiu alianças com figuras de centro-direita. 

"O PT mantém sua afinidade com PSB. O PSB tem o direito de lançar candidato em Pernambuco, é o Estado onde a direção é mais forte. Desta vez, tem duas pessoas como candidatas em potencial, Humberto Costa [senador] e Marília Arraes [deputada federal]. Embora o PSB tenha o direito de indicar, não pode tratar o PT de forma pequena", afirmou.

Inicialmente, Lula disse que havia dois nomes postos em Pernambuco, citando o senador Humberto Costa e a deputada federal Marilia Arraes. Depois, ele arremata, afirmando que o PSB tem a precedência para a escolha. 'Se o PSB definir candidato, Humberto Costa está fora', afirma Lula.

Veja a fala completa no video abaixo.

A fala de Lula acontece no mesmo dia em que Humberto Costa, em entrevista à Rádio Jornal, defendeu a análise da sua candidatura pela Frente Popular. O ex-presidente, no discurso, também negou que o senador Fabiano Contarato seja pré-candidato ao governo do Espírito Santo.

"Não temos candidato no Espírito Santo. Quando Contarato entrou no PT para ser candidato, foi dito a ele que estávamos conversando com PSB, que seria prazeroso ter ele, mas não para ser candidato", rebateu.

A declaração do petista é feita um dia após o presidente do PSB, Carlos Siqueira, criticar, em entrevista ao jornal Correio Braziliense, o que chamou de "visão exclusivista" do PT.

"Uma visão exclusivista. Não diria hegemônica, porque é natural de quem tem a maioria, mas exclusivista, e que é uma visão que precisa ser superada. Não só para unir a esquerda, mas para ampliar o centro".

Lula também disse que respeita a pré-candidatura de Márcio França em São Paulo, mas ressaltou o nome do ex-ministro da Educação Fernando Haddad para disputa.

"Eu acho, com toda modesta, que o PT nunca esteve tão próximo de ganhar o governo como agora". Segundo o petista, a presidente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann (PR), vai se reunir com Siqueira em breve.

Comentários

Últimas notícias