Além da federação

Entendimento nacional do PT e PSB começará por Pernambuco, diz Gleisi

No dia de ontem, blog já havia revelado fala de Lula sobre primazia do PSB no Estado, na escolha do candidato ao governo do Estado

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 20/01/2022 às 15:30
PSB/Nacional
Coletiva feita hoje em Brasília definiu rumos - FOTO: PSB/Nacional
Leitura:

Nesta quinta-feira, em Brasília, o PT e o PSB mantiveram uma reunião decisiva entre seus presidentes e que contou com a participação do governador de Pernambuco Paulo Câmara. No fim do evento, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, explicou que a discussão sobre uma federação entre os partidos segue sendo discutida e que a aliança nacional com o PSB começa a ser discutida por Pernambuco, na semana que vem.

"Na questão política, vamos fazer série de reuniões de conversação. Vamos começar por Pernambuco. Ideia é na quinta façamos uma reunião com o Estado de PE: PT, PC do B, PSB. Ontem Lula já se pronunciou que temos que caminhar juntos. PSB tem a preferência na indicação.
A partir daí, vamos fazer calendário com os outros estados", afirmou.

"Em relação a Pernambuco, sempre tivemos compreensão que compete ao PSB a indicação. O nome de Humberto foi colocado pela ausência de candidaturas", completou.

Nas redes sociais, o governador Paulo Câmara comentou o encontro, mas sem entrar em detalhes.

"Participei em Brasília, ao lado do nosso presidente Carlos Siqueira e do ex-governador de São Paulo, Márcio França, de uma reunião com a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann e o deputado Paulo Teixeira. O debate foi muito produtivo e acordamos que vamos recorrer ao TSE para ampliar o prazo de definição das federações partidárias além de reforçamos a formação de uma frente ampla, em torno da candidatura de Lula à presidência. Sobre as alianças locais, as discussões serão em cada estado, começando por Pernambuco na próxima semana".

Reunião decisiva

Às vésperas de uma reunião decisiva com a diretoria do PT, sobre a articulação de uma eventual federação, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, já havia dado um cheque mate e enfatizado o lado de cada um.

"A situação exige que o PT escolha qual é a sua prioridade: se é disputar com o seu principal aliado, na esquerda, os governos estaduais, ou se é conquistar a Presidência da República. Nós estamos dispostos a colaborar com a eleição de Lula, mas também queremos que o PT esteja disposto a colaborar com as nossas candidaturas", disse, na semana passada.

Comentários

Últimas notícias