04
dez

Embratel vai guardar nas nuvens dados de doze órgãos do o governo federal

04 / dez
Publicado por Fernando Castilho em Notícias às 18:08

A Embratel venceu (por meio da Embratel Primesys), a licitação do Governo Federal para fornecer soluções de Computação em Nuvem para 12 órgãos. Entre eles estão o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; o Ministério da Fazenda; o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU); o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

O contrato determina a provisão de serviços de Computação em Nuvem sob demanda, como o fornecimento de Nuvem Pública, pelo período de 30 meses, com possibilidade de ampliação para 60 meses. O valor da licitação atingiu R$ 29,9 milhões após disputa acirrada entre 12 licitantes, que reduziu o valor de referência do edital de R$71,4 milhões.

Também serão atendidos pelo contrato a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí; o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); a Escola de Administração Fazendária (ESAF); o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICM-Bio); a Escola Nacional de Administração Pública (Enap); a Polícia Rodoviária Federal e a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF).

O acordo prevê o desenvolvimento, manutenção e gestão de topologias de aplicações de Nuvem e a disponibilização continuada de recursos de Infraestrutura como Serviço (IaaS) e Plataforma como Serviço (PaaS) em Nuvem Pública.
“A Embratel possui ampla infraestrutura, capaz de atender todas as demandas tecnológicas do Governo Federal. Estamos certos de que prestaremos serviços e forneceremos tecnologias de ponta para esses que estão entre os mais importantes órgãos governamentais”, afirma Maria Teresa Azevedo Lima, Diretora Executiva para Governo da Embratel, ressaltando a tradição da empresa no fornecimento de tecnologias e infraestrutura para armazenar os dados sensíveis e sigilosos do Poder Público.
O projeto amplia a atuação da Embratel como integradora de soluções digitais ao operar como broker de Nuvem Pública, realizando a intermediação entre o parceiro das tecnologias utilizadas e o Governo. Todas as Provas de Conceito (POCs) foram efetuadas com sucesso, reafirmando a aptidão da Embratel para atender às necessidades do projeto.
“Antes desse contrato, o Governo Federal necessitava usar Data Centers próprios para qualquer processamento ou armazenamento de dados. Com a Nuvem administrada pela Embratel, ele terá mais agilidade, praticidade e maior capacidade, o que, sem dúvida, irá refletir na qualidade do serviço prestado ao povo brasileiro”, explica Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel, lembrando que também estão previstos treinamentos de equipes sobre as tecnologias utilizadas na iniciativa.

O fornecimento das soluções digitais e os treinamentos estão alinhados com a estratégia do Governo Federal de digitalizar processos e dados para facilitar a comunicação entre as diversas pastas e agências.
Além de mais agilidade e segurança no acesso às informações, o Governo também terá redução nos investimentos com bens de capital e despesas operacionais com Centros de Processamento de Dados (CPD). As mudanças irão resultar na redução de custos de aquisição e manutenção de tecnologias e ampliar a flexibilidade, agilidade e escalabilidade do ambiente, aumentando também a padronização tecnológica na Administração Pública.

Por meio da Embratel, o Governo Federal poderá contratar sob demanda mais de 7 milhões de serviços de Computação em Nuvem (USN), entre eles máquinas virtuais, serviço de armazenamento de blocos em diversos modelos, tráfego de rede CDN, VPN Gateway, serviços de Business Intelligence, Firewall e IP Público, por exemplo. Outros 45,5 mil serviços técnicos especializados (UST) também poderão ser contratados de acordo com a necessidade, como arquitetura de solução, configuração de VPN site-to-site, configuração de VPN client-to-site, configuração de filtro Firewall, configuração de rede virtual, configuração de CDN, configuração de criptografia de  dados e discos, e migração de ambientes.

“A conquista de um contrato tão importante e de tamanha responsabilidade como este comprova que a Embratel está preparada para atender ao Poder Público com tecnologias inovadoras e infraestrutura segura e rapidamente escalável”, diz Maria Teresa.


Veja também