24
jun

O sonho do Beto Carrero World

24 / jun
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 7:51

 

Beto Carrero

 

Sonho infantil. Esta é a melhor explicação não só para a criação como também para a continuidade do famoso Beto Carrero World, localizado em Penha, em Santa Catarina. O que hoje se tornou o maior parque temático da América Latina começou com um sonho de criança de João Batista Sérgio Murad, criador do personagem Beto Carrero, que faleceu em 2008. Mas como sonhos não morrem, o parque, apesar das dificuldades, resistiu e permanece realizando sonhos infantis de outras pessoas, assim como o do #blogmochileo.

 

Leia mais:

Vinte coisas que não podem faltar na mochila para a Chapada Diamantina

As piscinas naturais e outras surpresas de Itamaracá

Gravatá tem passeio de cavalo pra todos os gostos

Passeio de lancha para admirar melhor Calhetas

 

Impossível não pensar em Beto Carrero e não vir à mente a imagem de um homem com um chicote empinando um cavalo, imortalizada em vinhetas vistas dezenas de vezes na televisão. Era um sonho conhecer o lugar que foi fruto do sonho de Murad. Ele idealizava ser uma espécie de Zorro Brasileiro e com muito esforço e talento (além de ótima visão de marketing) criou o personagem e mais tarde em 1991 inaugurou o sonhado parque que viria a ser a “Disney Brasileira”. Logo sucesso virou o sobrenome do empreendimento que se consolidou como atração no Brasil e no continente inteiro. Apesar das notícias do começo deste ano sobre suspensão de investimentos no parque, desentendimento com a prefeitura e até uma possível mudança de sede, ele segue com suas atividades e sendo uma ótima pedida para crianças e adultos também!

 

 

O #blogmochileo visitou o parque em maio de 2017 e como já citado foi realmente a realização de um sonho. Só de chegar na imponente entrada dele em formato de castelo já é especial. E ao adentrar os portões realmente a sensação é de se estar em um novo mundo, como o próprio nome do empreendimento já define. O world de Beto Carrero realmente faz jus ao título por ser muito grande e repleto de atrações de todos os tipos e para todos os gostos. No entanto, em vez de pegar o passaporte de dois dias, encarei o desafio de curtir tudo o que é oferecido em apenas um. E consegui. Claro que fiz um “estudo” prévio do mapa do parque e estabeleci um roteiro das atrações mais radicais e disputadas entre as mais de 100 oferecidas.

 

 

Uma das primeiras da lista, sem dúvida, foi a famosa FireWhip, a primeira montanha-russa invertida do Brasil (onde os trilhos ficam sobre a cabeça e os pés sem contato com nada). A tradução “Chicote de Fogo” define bem a sensação porque você se sente bem como em um estalo de chicote e a alta temperatura é garantida pelas sequências frenéticas de loopings. A segunda foi a temida Big Tower com seus 100 metros de altura, equivalente a um prédio de 30 andares, e um elevador que cai a uma velocidade de 120 km/h. Realmente dá um grande frio na barriga, mas vale muito a pena ter essa sensação.

 

 

Outras atrações como a Crazy River, Star Mountain e Tigor Mountain também garantem uma certa adrenalina. Mas com certeza um dos grandes diferenciais do parque são os espetáculos. Com destaque para o eletrizante Extreme Show que traz uma trama com perseguições e manobras alucinantes de carros e motos em alta velocidade. Tanto ele como as outras apresentações são de extrema qualidade. Uma das mais emocionantes é ado Sonho do Cowboy cujo final relembra a famosa pose de Beto Carrero empinando o cavalo e estalando o chicote. Sonho realizado.

 

REDES SOCIAIS:

 

 

*Acompanhe o @blogmochileo também pelo Instagram, Twitter, Facebook e Youtube.


Veja também