09
dez

A trilha dos 30 padres franciscanos na Ilha de Santo Aleixo

09 / dez
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 7:22

Ilha de Santo Aleixo

 

De repente, um longo apito rompe o silêncio na ilha. Não se trata de uma emergência e sim um convite. Irrecusável por sinal. É o aviso para o início da trilha, que, na verdade, é apenas uma breve caminhada em torno da ilha geralmente feita no final de cada manhã. O dono do apito é uma das figuras mais conhecidas da ilha, o animado guia turístico conhecido como Cacau Show, que reúne as dezenas de turistas para o passeio curto e fácil de menos de meia hora.

 

 

Leia mais:

A calmaria e a beleza da Ilha de Santo Aleixo em Sirinhaém

Snorkel e caiaque são as pedidas na Ilha de Santo Aleixo

A beleza da Coroa do Avião em Igarassu

Emoção na tirolesa de Calhetas

A emoção do rapel nas cachoeiras de Bonito

 

 

O guia junta o grupo na praia do meio, onde as lanchas ficam, e depois o conduz subindo pelo caminho nas pedras até um mirante que tem a réplica de uma cruz antiga, onde ele começa a explicar a história da ilha. “Em 1527, os franceses invadiram o Litoral Sul de Pernambuco e também a ilha para saquear o pau-brasil. Daqui eles levaram muita madeira até que entraram em confronto com os portugueses e foram expulsos em 1531. Então depois vieram 30 padres franciscanos e celebraram uma missa, selando um tratado de paz, simbolizado por uma cruz fincada aqui no ponto mais alto da trilha. Daí surgiu o nome que demos ao percurso: Trilha dos 30 padres franciscanos”, explicou Cacau Show, sob o olhar atento dos visitantes.

 

 

A cada parada o guia vai dando explicações sobre as características da ilha, que vai se revelando em diferentes ângulos. Os turistas, claro, aproveitam para registrar tudo em diversos cliques. Existem alguns mirantes, coqueiros e pedras onde o mar arrebenta que rendem ótimas fotos. Vale lembrar que, apesar de fácil, a trilha deve ser feita com calçados porque algumas pedras são escorregadias ou pontiagudas e outras esquentam bastante com o calor. A trilha acaba do outro lado do paredão na Praia da Ferradura, onde os turistas aproveitam para acabar com o calor na relaxante água. “A trilha tem que acabar assim em grande estilo com esse visual maravilhoso. Chegar aqui é fácil, o difícil é querer sair depois. Tem turista que se deixar quer morar aqui pra sempre”, brincou o extrovertido Cacau Show.

 

 

Mas a Ilha de Santo Aleixo não é rica só de história, mas de recursos naturais também. “Como um vulcão inativo, a ilha tem uma biodiversidade muito rica. Ela é formada por pedras ardósias que contém minérios de ferro. Daí vocês notam que tem muitas pedras com uma aparência como se estivessem enferrujadas. Como a ilha fica bem próxima ao estuário há também uma grande diversidade de peixes, inclusive o Mero, que está em extinção”, explicou o biólogo Artur Maciel.

 

 

REDES SOCIAIS:

 

 

*Acompanhe o @blogmochileo também pelo Instagram, Twitter, Facebook e Youtube.


Veja também