24
maio

Um ano depois, fiscalização por videomonitoramento muda hábito dos motoristas

24 / maio
Publicado por Roberta Soares às 8:00

Em um ano de funcionamento do videomonitoramento, a redução de autuações foi de 87%. Fotos: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Surtiu efeito. Essa é a conclusão sobre o primeiro ano da fiscalização de trânsito por videomonitoramento no Recife. As multas, que no primeiro mês de funcionamento – maio de 2017 – chegaram a 921 registros, tiveram uma redução severa para 118 notificações no 12º mês de operação – abril de 2018. Foram 87% autuações a menos em cada um dos dez pontos da cidade que têm as câmeras. Ou seja, os motoristas tornaram-se mais conscientes e temerosos de cometer as infrações que prejudicam, antes de tudo, a mobilidade a pé, como o estacionamento sobre a calçada e sobre a faixa de pedestres.

Estamos comemorando esse resultado porque mostra que os motoristas estão mais conscientes, prejudicando menos as pessoas que caminham nesses pontos fiscalizados. É uma mudança de hábito. Sabemos que ela acontece porque pesa no bolso, mas o condutor autuado não pratica o mesmo erro novamente”,

Taciana Ferreira, presidente da CTTU

Em maio de 2017, eram três notificações por dia, em média. Agora, é uma diariamente. Há locais que ainda se destacam pelo descumprimento da legislação de trânsito, como é o caso do Largo da Paz (no cruzamento da Estrada dos Remédios com a Rua São Miguel), em Afogados, na Zona Oeste do Recife. Esse ponto registrou 2.779 notificações no primeiro ano, mas em geral os números têm tido redução. “Estamos comemorando esse resultado porque mostra que os motoristas estão mais conscientes, prejudicando menos as pessoas que caminham nesses pontos fiscalizados. É uma mudança de hábito. Sabemos que ela acontece porque pesa no bolso, mas o condutor autuado não pratica o mesmo erro novamente”, explica a presidente da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), Taciana Ferreira.

 

 

 

O cruzamento da Avenida Recife com a Rua Jacinto da Cruz foi o ponto com o índice mais significativo de redução, tendo 96% de queda nas infrações cometidas. No primeiro mês de fiscalização por videomonitoramento, o local registrou 122 irregularidades, enquanto, no mês passado, foram registradas nove multas. Depois do Largo da Paz, os locais que mais tiveram registros de infrações foram a Avenida Norte com a Rua Professor José dos Anjos, com 671 autuações, e a Avenida Conselheiro Aguiar com a Rua Padre Carapuceiro, com 441 registros.

Entre as cinco infrações mais registradas estão as de estacionamento em desacordo com a sinalização, com 2.356 multas (47,21%), estacionamento sobre calçada, com 1.293 (25,91%), a conversão proibida, com 530 (10.62%), estacionamento em fila dupla, com 303 (6,07%) e, por último, estacionamento em desacordo com a regulamentação, com 217 (4,34%) autuações registradas. As demais notificações foram geradas por desrespeitos como, por exemplo, parada sobre faixa, avanço de semáforo e transitar sobre calçada, somando 291 notificações (5,83%).

 

Em 3 de maio de 2017, a CTTU iniciou o trabalho de fiscalização por videomonitoramento em dez pontos da cidade. A ação aconteceu após um mês de período educativo, uma vez que as áreas beneficiadas começaram a receber a sinalização adequada no início do mês de abril. A fiscalização através das câmeras está permitida desde 2015, de acordo com a resolução 532 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

LEIA MAIS
Câmeras de videomonitoramento não multarão avanço de sinal das 22h às 6h
Videomonitoramento da CTTU está protegendo os pedestres. Essa é a verdade!
Multas por videomonitoramento só com placas de alerta

As imagens não são utilizadas para aplicar infrações que só podem ser validadas por equipamentos aferidos pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), como excesso de velocidade e estacionar a menos de cinco metros do bordo do alinhamento transversal, ou, ainda, as que precisem da abordagem dos agentes de trânsito, como conduzir o veículo sem os documentos obrigatórios e em mau estado de conservação. A previsão da CTTU é de que algumas áreas da cidade, principalmente as localizadas na periferia e que têm forte comércio no entorno, recebam a fiscalização por videomonitoramento. Nova Descoberta, na Zona Norte da capital, é um exemplo. Mas não há data definida.


Veja também