17
abr

VAR anula gol do City e Tottenham se classifica; Liverpool também passa

17 / abr
Publicado por Marcos Leandro às 18:09

 

Liverpool e Tottenham estão nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. Mas a classificação dos dois para a próxima etapa foi bem distinta. Nesta quarta (17/4), o Liverpool goleou o Porto por 4×1 no estádio do Dragão, em Portugal, e avançou sem maiores dificuldades. Os Reds já tinham vencido na Inglaterra por 2×0. Agora, o Liverpool encara o Barcelona.

Já no Etihad Stadium, um jogo incrível. O Manchester City ganhou por 4×3 do Tottenham, mas a derrota teve sabor de vitória para os Spurs, que se classificaram pelos gols marcados fora de casa. Dentro de seus domínios, o Tottenham ganhou por 1×0. O jogo foi definido pelo árbitro de vídeo. Aos 48, Sterling fez o gol que classificaria o time de Pep Guardiola, mas o VAR avisou ao juiz que o argentino, que tocou para Sterling, estava centímetros em impedimento. Lance anulado e vaga com os Spurs, que agora encaram o Ajax.

Para o Tottenham, a passagem às semifinais significará a chance de pela primeira vez avançar à decisão da Liga dos Campeões. Já o City, que também nunca foi finalista do torneio, voltou a fracassar ao buscar o sonho de ganhar o troféu que cobiça com grande esperança de conquistá-lo depois de ter contratado em 2016 Guardiola, que fez história à frente do Barcelona nesta competição. A Uefa agendou os confrontos da próxima fase para os dias 30 de abril, 1º, 7 e 8 de maio e vai confirmar em breve as datas de todos os duelos.

 

CITY 4X3 TOTTENHAM

Por Estadão Conteúdo

Antes de ver o seu sonho acabar mais uma vez, o City iniciou o jogo de maneira alucinante e abriu o placar já aos quatro minutos. De Bruyne tabelou com David Silva e tocou na esquerda para Sterling, que cortou para o meio e bateu com categoria no canto esquerdo baixo do goleiro Lloris, que nada pôde fazer.

A partir dali o confronto virou uma loucura. Aos sete minutos, o Tottenham chegou ao empate com um gol de Heung-Min Son. Após receber passe do brasileiro Lucas Moura, Delle Alli tentou acionar Erikssen. Laporte tentou fazer o corte, mas a bola sobrou na entrada da área para o atacante sul-coreano, que chutou sem muita força, mas Ederson não foi bem no lance ao tentar defender a bola com os pés e deixá-la entrar. E os visitantes viraram o placar já aos dez minutos, novamente com um gol de Heung-Min Son. Após bobeada de Laporte no meio-campo, Lucas roubou a bola e puxou rápido contra-ataque. Ele tocou para Eriksen, que abriu na esquerda para Son. E o sul-coreano, inspirado, ajeitou e chutou colocado no canto esquerdo de Ederson para fazer um golaço e virar o jogo.

 

Ben STANSALL / AFP

 

Mas engana-se quem pensa que os times reduziram a intensidade extrema do jogo. Aos 11, o City empatou o jogo. Agüero deu ótimo passe para Bernardo Silva do lado direito da área e o português chutou cruzado. A bola desviou em Rose, que estava no caminho, e traiu Lloris, que saía para fazer a defesa no outro canto.

E a “loucura” no Etihad Stadium continuou com o terceiro gol do City sendo marcado aos 21 minutos. Bernardo Silva, de novo pela direita, iniciou jogada em que a bola depois passou pelo pés de De Bruyne, que cruzou e viu a bola atravessar toda a área e encontrar Sterling pelo lado esquerdo. O atacante finalizou cruzado e marcou: 3×2.

 

Ben STANSALL / AFP

 

O City, porém, precisava marcar pelo menos mais um gol para poder avançar às semifinais. E o sonhado gol veio aos 14 minutos da etapa final. Após fazer uma linda jogada, na qual se livrou da marcação de vários defensores, De Bruyne tocou no lado direito da grande área para Agüero. De frente para o gol, o argentino soltou a bomba para vencer Lloris.

O Tottenham, porém, continuava valente e descontou aos 28 minutos. Após escanteio da esquerda, Walker desviou na primeira trave e a bola encontrou o espanhol Llorente, que desviou com a sua coxa na pequena área para as redes. O gol era o que Tottenham precisava para avançar.

O City continuou lutando até o fim e foi achar o quinto gol aos 48 minutos. Após bola mal recuada por Eriksen, Bernardo Silva desviou para Agüero, que tocou para Sterling. O atacante finalizou e marcou, mas estava em posição de impedimento, confirmado pelo VAR, para a tristeza de Guardiola, que havia comemorado de forma efusiva o gol. Foi o fim do sonho do City e também do incrível melhor jogo desta edição da Liga dos Campeões.

 

Anthony Devlin / AFP

 

PORTO 1X4 LIVERPOOL

Por Estadão Conteúdo

Valente, como foi no jogo de ida, o Porto iniciou no ataque para tentar reverter o resultado desfavorável de 2×0 no primeiro duelo em Londres. O Liverpool apostou na velocidade de Salah e Mané para usufruir dos contra-ataques.

Aos 26 minutos, Mané abriu o placar para os ingleses. O auxiliar da arbitragem chegou a marcar impedimento, mas o VAR confirmou o gol. O panorama da partida continuou o mesmo, com destaque para os incansáveis Corona e Marega no ataque português. Mas o esforço dos atacantes não foi suficiente para incomodar Alisson.

 

Paul ELLIS / AFP

 

O segundo tempo começou com o Porto na pressão e o Liverpool apenas concentrado nos contra-ataques. E foi desta maneira que a equipe inglesa chegou ao segundo gol. Arnold fez ótimo lançamento para Salah, que, com categoria, fez 2×0, aos 20 minutos.

Dois minutos depois, Militão, de cabeça, após escanteio, diminuiu para o Porto, que vislumbrou a possibilidade de realizar uma missão praticamente impossível e buscar mais quatro gols em pouco mais de vinte minutos.

 

PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP

 

Com isso, o Liverpool encontrou vários espaços no campo de ataque e Henderson, com muita habilidade, fez ótimo levantamento para Firmino meter a cabeça e fazer o terceiro gol inglês. Foi o quarto do atacante brasileiro em dez jogos na competição.

Enquanto o Porto desanimou, o Liverpool seguiu com ritmo alucinante no ataque. O zagueiro Van Dijk fez o quarto, após cobrança de escanteio. Por pouco os ingleses não repetiram o mesmo placar do ano passado, quando venceram no Estádio do Dragão por 5×0, em confronto válido pelas oitavas de final.

 

Paul ELLIS / AFP
publicidade


Veja também