Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
Dia do Solteiro

Dia dos Solteiros: Conheça histórias bizarras de dates que não deram certo

Algumas pessoas compartilharam suas histórias bizarras de 'dates'

Raianne Romão Maria Luísa Fernandes
Cadastrado por
Raianne Romão
Maria Luísa Fernandes
Publicado em 11/11/2021 às 14:32
Reprodução/Pexels
Encontros bizarros de pessoas solteiras - FOTO: Reprodução/Pexels
Leitura:

Que tal comemorar o Dia dos Solteiros lendo o perrengue de quem já usou app de relacionamento? Senta no sofá e pega a pipoca, porque hoje O Viral trouxe histórias dignas de roteiros que poderiam muito bem se transformar em filmes. Como muitos sabem, nesta quinta-feira (11) comemora-se o dia dos solteiros. E nada melhor do que celebrar a data vendo histórias de pessoas que tentaram sair da ‘solteirice’ e se deram mal.

“Corra!”

A primeira história de hoje gira ao redor de quatro palavras: “enganação”, “traição”, “roubo” e “fuga”. Paulo Cezar, 20, é estudante de eletrotécnica. No ano passado, aos 19 anos, Paulo entrou no Grindr (app de relacionamento para homens) para tentar arrumar uma paquera. Ele se deparou com o perfil de um outro rapaz, que atendia pelo nome de “possibilidades”, de 46 anos. Bem enigmático, né?

Eles marcaram o encontro na casa do rapaz "A casa estava em reforma e dava pra perceber que era muito bonita. Tinha uma garagem, uma piscina e vários materiais de construções e, nessa hora, vi que tinha um pedreiro lá. Depois entrei, passei por uma sala e subimos uma escada com uns degraus vazados, uma coisa bem bonita e fina", contou o estudante. Ao olhar os cômodos, ele até achou que 'possibilidades' morasse sozinho, já que não tinha nenhum porta-retrato dele ou de outras pessoas.

De repente, um carro estaciona dentro da casa e o dono fica nervoso. Quando Paulo o questionou, ele afirmou que era o seu marido que tinha acabado de chegar. O homem imediatamente pediu para Paulo ir para o banheiro e pular a janela. "Fui para o quarto dele, que era uma suíte. Depois de um tempo, de repente, escutamos um barulho, que era a garagem abrindo e um carro chegando. 'Eu acho que é o meu marido', ele me falou. Nesse momento eu pensei: 'meu Deus, ele é casado e o marido dele está chegando. Vou morrer agora'. Depois o homem disse 'calma, se arruma e sai pela janela'", contou.

Paulo conta que enquanto se vestia, viu vinte reais e pegou a cédula. “Nessa hora conferi tudo e vi que na mesinha do computador tinha R$ 20 sobrando ali e pensei: 'quer saber, vou pegar essa nota. Não vou voltar mais aqui já que não quero me envolver com homem casado' peguei a nota. botei no bolso, fui para o banheiro, me pendurei na janela, desci pelo muro das plantas e o pedreiro tava lá, ele me viu e riu. Na hora disfarcei e fui embora. Se o homem ouviu o portão e desconfiou de algo, não sei, porque não tive contato”, finalizou o jovem.

Já pensasse passar por uma dessa só para conseguir um date?

“Muito sacrifício por nada”

A nossa próxima história tem um tom mais dramático, mas não deixa de ser uma “furada”. João Guilherme* é um profissional da área de comunicação e conheceu Renato* no Tinder (outro app de relacionamentos, já vai anotando os nomes para testar) próximo do Ano Novo de 2021. Logo após passar as comemorações do Réveillon, eles decidiram se encontrar na casa da madrinha de João, uma vez que ele estava morando no local por um tempo e a dona da casa iria dormir fora, na casa de uma parente. Mas mal sabia João que a sua felicidade não duraria por muito tempo.

“Depois que ela saiu, chamei ele lá para casa e quando chegou, saímos e compramos cerveja e outras bebidas". João conta que, ao voltar para a residência, o rapaz pediu maçã para poder colocar uma substância ilícita dentro e fumar, usando a fruta como uma espécie de cachimbo. “No que eu estou dando a maçã para ele e ele está enrolando a substância, escuto a garagem abrindo e vi minha tia chegando. Nessa hora desci correndo".

João conta que a tia tinha não tinha se sentido muito bem e achou melhor voltar para casa. Nessa hora, ele percebeu que tinha que abrir o jogo. Ele contou toda a história para a sua madrinha, pediu desculpas e ela ficou extremamente brava. "Ela subiu, bem séria, deu 'boa noite' para o Renato e logo depois me chamou e disse para eu o mandar embora", relembrou.

“Renato pagou R$90 de táxi do Paiva até a casa da minha madrinha [na Ilha do Retiro] para não fazer nada. Quando subi, minha madrinha disse que gostava muito de mim, mas não dava para eu continuar morando na casa dela. Ou seja, por um rolê que não aconteceu nada, nem um beijo para contar história eu fui expulso e precisei voltar para casa da minha mãe. Logo após, Renato me bloqueou das redes sociais e voltou com o antigo namorado". Triste, né?

"Wi-fi?"

Ainda seguindo com mais uma história cômica sobre 'dates' que não deram muito certo, a próxima história é da Rafaela*, uma estudante de jornalismo, de 21 anos. A jovem começa contando que conheceu um rapaz transexual, chamado Pedro*, no Tinder, onde passou a conversar com ele por cerca de duas semanas. Como as conversas não passavam de mensagens, os dois tomaram a decisão de se encontrar pela primeira vez.

Naquele momento, depois de tantas mensagens trocadas, Rafaela conta que já estava se sentindo muito "apaixonadinha" pelo rapaz, e muito feliz por ser o seu primeiro encontro. Mas enquanto estavam decidindo o local de encontro, Pedro destacava que queria estar em um lugar mais reservado com a garota. Mas mesmo com esses comentários, Rafaela deu a ideia do encontro ser no Shopping Boa Vista, no bairro de Santo Amaro, Área Central do Recife.

Mas quando finalmente chegou no dia do tão esperado encontro, o garoto confessou para Rafaela que usava em sua perna, uma tornozeleira eletrônica, também conhecida por "Wi-fi". A garota conta que depois da confissão, ela não chegou nem a encontrar o rapaz. Rafaela conta que ficou um pouco assustada, mesmo não sabendo da verdadeira história do garoto, decidiu cortar qualquer contato com ele. A jovem conta que não chegou a bloquear o contato, apenas por falta de coragem, mas passou a ignorar as mensagens que costumava receber.

"Quase levou um calote"

A próxima e última história de um date desastroso é a do Silvio Menezes, um auxiliar administrativo, de 25 anos. O rapaz conta através de um áudio enviado no WhatsApp, que conheceu uma garota, na qual chamava de "ruivinha", no aplicativo Badoo (anotasse esse também?). Lá eles passaram a ter algumas conversas 'bacanas'. Mas como alguns casais que se conhecem por internet, Silvio conta que eles não ficaram somente em trocas de mensagens, mas chegaram a fazer ligações de vídeo. Em um todo, as coisas estavam indo bem. Os dois chegaram até a se encontrar pessoalmente, mas o rapaz conta que a experiência não havia sido tão boa.

Mas como as coisas nem sempre são um mar de rosas, logo depois do primeiro encontro, Silvio conta que recebeu algumas críticas por parte da garota, pois havia dito aos seus amigos, que estava se encontrando com ela, além de mostrar fotos. Mas mesmo ao receber essas críticas, eles não pararam de conversar por mensagens.

Nesse mesmo tempo, ele conta que nunca media esforços para ajudar a garota. Ajudava com questões financeiras e até mesmo com trabalhos da faculdade que ela fazia. Mas mesmo com tantos esforços, era frequentemente criticado pela jovem, que muitas vezes era grossa. Silvio fala que por ter feito algumas impressões para entregar à garota, acabou acontecendo um segundo date, que segundo ele, foi melhor que o primeiro, mas não deu em muita coisa além de amizade. 

Mesmo com nada certo na "relação", Silvio chegou a pagar para a jovem colocar unhas em gel, mas foi duramente criticado ao ver a conta da profissional que fez o processo. Ele conta que já não vinha gostando muito das atitudes da garota, então passou a cobrar o dinheiro que havia emprestado, mesmo não tendo esse hábito de fazer tal coisa. A garota então demorou um pouco para devolver o dinheiro, mas finalmente pagou ao jovem. E depois de um tempo, ele encontrou a "ruivinha" no aplicativo Tinder e também no Badoo.

 Observação: todos os nomes sinalizados com "*", são fictícios. Os nomes reais foram preservados.

Comentários

Últimas notícias