Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
Inacreditável

Homem lava meteoro com detergente e viraliza

No registro publicado no Twitter, é possível ver o homem lavando o fragmento com escova e depois exibindo o meteorito

Caio César
Cadastrado por
Caio César
Publicado em 17/01/2022 às 10:01 | Atualizado em 17/01/2022 às 10:37
Reprodução/Twitter
O homem viralizou ao 'lavar' o fragmento com detergente e água. - FOTO: Reprodução/Twitter
Leitura:

Uma história engraçada tomou as redes sociais. Um homem viralizou ao lavar um suposto meteorito, que caiu na noite da sexta-feira (14), com detergente e água. O caso inusitado aconteceu no município de Iraí de Minas Gerais, no Triângulo Mineiro.

No registro publicado no Twitter, é possível ver o homem lavando o meteorito na pia e depois exibindo o fragmento.

Confira a publicação: 

 

Venda de meteoritos

Após a repercussão dos registros, no sábado (15), outra imagem sobre o tema viralizou. Alguns internautas fizeram uma montagem com a foto do meteorito sendo vendido por R$ 15 mil em um aplicativo de compra e venda.

Veja a postagem: 

 

No entanto, apesar da situação ser bem-humorada, expõe assuntos reais de contrabando de meteoros. É o que explica o pesquisador Marcelo de Cicco. Segundo ele, a venda de meteorito é um mercado comum e os fragmentos são exportados por milhares de dólares, fora do território nacional.

“Eu sou uma das pessoas no Brasil que combate esse mercado de objetos científicos, mas tem gente até da área de ciências envolvido em compra e vendas de meteorito”, lamentou o especialista em entrevista ao site BHAZ.

Riscos à saúde? 

Após a repercussão vários debates e questionamentos referentes a riscos de saúde ao ter contato com o fragmento surgiram. Ainda na entrevista, o astrônomo Marcelo De Cicco, que coordena um projeto de pesquisas de meteoros, afirmou que o objeto é inofensivo e não causa nenhum dano à saúde. No entanto, aconselha a levar o fragmento o mais rápido possível a um centro de pesquisas adequado ou a uma Universidade Federal.

Com informações do BHAZ notícias 

Comentários

Últimas notícias