12
nov

Novas mudanças na Polícia Civil de Pernambuco

12 / nov
Publicado por Raphael Guerra às 10:46

Avanço da criminalidade levou Chefia da Polícia Civil a programar novas ações e a transferir delegados para outras unidades. Crédito: Polícia Civil/Divulgação
Avanço da criminalidade levou Chefia da Polícia Civil a programar novas ações e a transferir delegados para outras unidades. Crédito: Polícia Civil/Divulgação

A conturbada transferência da delegada Gleide Ângelo do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para outra unidade de Olinda não é a única mudança prevista entre os profissionais da área de segurança pública. O aumento desenfreado no número de assassinatos registrados em Pernambuco levou a Cúpula da Polícia Civil a planejar uma série de ações. Da Capital ao Interior delegados estão sendo comunicados de que vão ser removidos para outras delegacias e assumir novas funções.

O Grupo de Operações Especiais (GOE), até então mais voltado para o combate aos crimes de sequestro e extorsão, ganhará mais atribuições e deve ser a unidade especializada em investigar casos de grande repercussão no Estado. Para isso, o titular Cláudio Castro ganhou reforço de mais três delegados, entre eles Gilberto Loyo (que até então ocupava a 9ª Delegacia de Homicídios de Olinda, cargo entregue a Gleide Ângelo).

No último mês, 381 assassinatos foram registrados em Pernambuco. No mesmo período de 2014, foram 285. Isso significa que quase 100 mortes a mais foram contabilizadas. Os dados são da Secretaria de Defesa Social. A violência também vem crescendo no Interior do Estado. Por conta disso, está em estudo a criação de uma delegacia especializada em homicídios no município de Floresta, no Sertão, a 433 km do Recife.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) foi procurada pelo RondaJC para comentar a transferência da delegada Gleide Ângelo, mas a assessoria informou que não iria se pronunciar. Já o Chefe da Polícia Civil, Antônio Barros, disse que a mudança é necessária neste momento e que a missão foi dada a Gleide porque há confiança no trabalho dela. A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe) afirmou ao blog que irá acionar a Justiça para impedir a remoção.


Veja também