16
abr

Pernambuco registrou, em média, 18 assassinatos por dia em março

16 / abr
Publicado por Raphael Guerra às 14:33

Homicídios atingiram novo recorde em Pernambuco. Foto: JC Imagem/Arquivo
Assassinatos atingiram novo recorde em Pernambuco. Somente em março, foram 548 mortes. Foto: JC Imagem/Arquivo

As estatísticas de violência em Pernambuco não param de assustar. Pelo quarto mês consecutivo, os números ultrapassam recordes históricos e desafiam o Governo do Estado. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), 548 assassinatos foram registrados em Pernambuco no mês de março (média de 18 por dia). Um resultado nunca visto na história do Pacto pela Vida. Em mais de dez anos, os resultados ainda não haviam se aproximado de uma marca tão negativa. Até então, o recorde era de 498 homicídios – contabilizados em fevereiro deste ano.

Em apenas três meses, Pernambuco já registrou 1.522 assassinatos. O Interior do Estado é a região que apresenta dados mais preocupantes. No total, 828 mortes, sendo 295 somente no mês de março. Na capital pernambucana, 240 homicídios no primeiro trimestre deste ano. No último mês, 96. Nos outros municípios que compõem o Grande Recife, houve o registro de 545 homicídios, sendo 157 em março.

Se não houver um freio, segundo estimativas, o Estado pode terminar o ano com mais de 6 mil assassinatos. Até então, o recorde é de 4.634 – número registrado no ano de 2006.

“Plano” promete mais polícia nas ruas

Às vésperas da divulgação do novo balanço da violência em Pernambuco, o Governo do Estado se apressou em divulgar um “novo plano” de segurança. Explico as aspas: boa parte das ações anunciadas como novidade pelo governador Paulo Câmara já estão sendo implementadas há anos, como os concursos das polícias Civil e Científica. No primeiro dia do seu governo, em 2015, ele confirmou que as seleções seriam realizadas, previstas desde o segundo mandado do governo Eduardo Campos. E todas já estão em andamento desde o início do ano passado – a maioria em fase final.

O número de novas vagas para delegados, inclusive, são menores do que se esperava. Em 2011, o então secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, anunciou na Assembleia Legislativa de Pernambuco que 200 novos delegados seriam incorporados à segurança estadual. O tempo passou, o assunto morreu. Em 2014, houve a promessa de 100 – mantida até a semana passada, quando o governador Paulo Câmara afirmou que seriam 140 vagas. Vale lembrar que há muitas delegacias, principalmente no Interior, que não têm delegados titulares. E há profissionais que acumulam duas ou até três delegacias.

Na prática, a novidade mesmo é que, segundo o governador, haverá concurso periódico para a PM. Serão 500 novas vagas anualmente.

LEIA TAMBÉM: Lista dos municípios mais violentos de Pernambuco

O que diz a SDS

Em entrevista ao Jornal do Commercio, por telefone, o secretário de Defesa Social, Angelo Gioia, afirmou que vê os números com preocupação e considerou “um patamar alto” a média de 18 homicídios por dia. “Minha esperança é que ocorra uma redução em abril”, afirmou. Ainda segundo ele, as polícias Civil e Militar estão atuando com mais força em áreas com maior número de mortes no Estado.

Mudanças para diminuir violência

Para tentar diminuir os homicídios no Estado, a SDS também criou um novo esquema para investigação de crimes contra a vida. Não são apenas as delegacias especializadas em homicídios que apuram esse tipo de crime. Até a Delegacia de Polícia do Meio Ambiente recebeu inquéritos de assassinatos.

As delegacias especializadas em homicídios ficarão apenas com os casos mais complexos e registrados entre 2016 e 2017. Mortes relacionadas a crimes de proximidades (aqueles que envolvem familiares, amigos, vizinhos) devem ser distribuídos para as delegacias dos distritos (antes responsáveis apenas por investigar crimes como roubos, furtos e outros delitos de menor gravidade).

Já outras especializadas, como a Delegacia do Idoso e a Delegacia do Meio Ambiente, apuram inquéritos de homicídios mais antigos e ainda não esclarecidos pela polícia.

Departamento de Homicídios será comandado pelo delegado Ivaldo Pereira. Foto: Hélia Scheppa / Arquivo JC Imagem
Departamento de Homicídios será comandado pelo delegado Ivaldo Pereira. Foto: Hélia Scheppa / Arquivo JC Imagem

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também ganhou um novo gestor. O delegado Ivaldo Pereira assumiu o desafio. Foi a segunda mudança de titular na especializada apenas neste ano, como antecipou o blog. (veja matéria completa).

Outras mudanças

O delegado especial Antônio Barros, que deixou o cargo de chefe da Polícia Civil de Pernambuco no mês passado, foi anunciado como gestor do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) no Estado. O novo desafio faz parte do pacote de mudanças adotadas pela Secretaria de Defesa Social (SDS) para tentar frear o aumento da violência, reforçando as investigações de homicídios e de repressão às quadrilhas especializadas em tráfico de drogas.

Leia Mais

Pernambuco atinge maior índice de homicídios desta década, afirma mentor do Pacto pela Vida

 


Veja também