31
jan

Aplicativo vai alertar recifenses e turistas sobre locais de violência

31 / jan
Publicado por Raphael Guerra às 8:45

Pontos de tiroteio serão mapeados e divulgados em aplicativo. Foto: Internet

Os recifenses e turistas vão contar em breve com um aplicativo que monitora e faz alerta sobre os pontos de tiroteio e incidência de violência. O Fogo Cruzado, que já é bastante conhecido no Rio de Janeiro, fará notificações sobre todos os registros de insegurança. Segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), 791 pessoas foram mortas na capital pernambucana no ano passado.

“A escolha do Recife se dá num momento em que os programas de redução da violência perdem força e há um aumento da violência letal. É importante trazer mais capitais fora do eixo sudeste para o debate sobre violência armada para que seja possível pautar melhor a imprensa e trazer a tona a realidade desconhecida por muitos”, afirmou a jornalista e especialista em segurança pública Cecília Olliveira, idealizadora do projeto.

O aplicativo Fogo Cruzado Recife vai funcionar de forma semelhante ao Rio. Além de receber notificações de usuários, a equipe vai lidar com informações que pode receber diretamente, por meio das redes sociais. Todas elas serão checadas antes da publicação, a partir do cruzamento de dados com scripts e filtros desenvolvidos para agregar informações sobre disparos de arma de fogo no Grande Recife.

“A equipe também vai agregar às bases de dados as informações recolhidas via imprensa e canais das autoridades policiais. Estas notificações publicadas no mapa serão sinalizadas de acordo com suas fontes. A notificação será postada nas redes e o incidente ficará em registro público”, explicou Cecília. A previsão é de que o serviço comece a funcionar a partir de março.

O aplicativo, que atualmente é gerido pelo Instituto Update, foi desenvolvido em 2015. A jornalista teve a ideia ao buscas informações sobre feridos por bala perdida e incidência de tiroteios no Rio de Janeiro. Foi quando percebeu que essas informações não chegavam à população em geral. Ela procurou apoio da Anistia Internacional, que ajudou na criação do serviço. Em janeiro deste ano, o projeto tornou-se independente e a idealizadora decidiu que era o momento de ampliá-lo.

CONTAGEM DE MORTES

Entre maio de 2007 e setembro de 2010, um grupo formado por quatro jornalistas contabilizou diariamente os homicídios registrados em Pernambuco. O projeto conhecido como Pebodycount foi criado no período em que o Estado registrava nível elevado de assassinatos e estava no topo da violência nacional. O site disponibilizava dados como nome das vítimas, idades e local dos crimes. A iniciativa teve reconhecimento nacional por trazer à tona a discussão sobre a violência no Estado. Um dos idealizadores do projeto foi o jornalista Eduardo Machado, atual secretário executivo de Segurança Urbana do Recife.

LEIA TAMBÉM

Homicídios em Pernambuco aumentaram 39% na gestão de Paulo Câmara

O perfil das vítimas de violência em Pernambuco

Os municípios de Pernambuco com maior número de assassinatos em 2017

 


Veja também