30
ago

Caso Aldeia: Esposa e filho de médico são indiciados por homicídio

30 / ago
Publicado por Raphael Guerra às 6:30

Esposa e filho mais velho são suspeitos de matar médico em Aldeia. Foto: TV Jornal/Reprodução

A Polícia Civil de Pernambuco concluiu o inquérito relacionado ao assassinato do médico cardiologista Denirson Paes da Silva, de 54 anos, em um condomínio de luxo em Aldeia. A farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes, que era esposa da vítima, e o filho mais velho do casal, o engenheiro Danilo Rodrigues Paes, foram indiciados por homicídio triplamente qualificado e por ocultação de cadáver. A prisão preventiva dos dois também foi solicitada à Justiça.

O relatório final com a conclusão do inquérito foi entregue à  Primeira Vara Criminal da Comarca de Camaragibe às 16h30 dessa quarta-feira (29). O Ministério Público terá dez dias, contados a partir de hoje, para decidir se dois suspeitos serão denunciados pelos crimes ou se o caso deve ser devolvido à Polícia Civil para que sejam realizadas novas diligências.

Na conclusão do inquérito, os investigadores da Delegacia de Camaragibe pontuaram que o assassinato com requintes de crueldade foi praticado apenas por Jussara e por Danilo. Os policiais descartaram que uma terceira pessoa tenha participado do crime, como foi cogitado na época em que os restos mortais foram encontrados dentro de um poço, em 4 de julho deste ano.

Jussara está presa na Colônia Penal Feminina do Recife. Já Danilo está no Centro de Observação e Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. Os mandados de prisão são temporários.

Para a polícia, o homicídio ocorreu porque o casamento de Denirson e Jussara estava perto do fim. O filho mais novo do casal confirmou, em depoimento, que o médico pretendia se separar da mulher. Em entrevista exclusiva à TV Jornal, na semana passada, Jussara Paes negou qualquer envolvimento no crime. Ela também afirmou que o casal era feliz e que não iria se separar.

Entre as provas colhidas pela Polícia Civil para concluir as investigações, houve a quebra de sigilo de dados do telefone de Jussara e de Danilo. A autorização foi dada pela juíza Marília Falcone Gomes, da Comarca de Camaragibe. A defesa dos suspeitos também solicitou acesso a esse conteúdo, mas a magistrada informou, na terça-feira (28), que só vai autorizá-lo quando o resultado dessas perícias chegarem à Justiça.

Corpo de médico foi encontrado dentro de poço em condomínio de luxo em Aldeia. Foto: Facebook/Reprodução

PERÍCIAS

A perícia do Instituto de Criminalística apontou, na semana passada, que o médico foi morto com uma pancada na cabeça seguida de esganadura. A informação sobre as lesões no crânio da vítima, que deram início à dinâmica do assassinato, foi antecipada pelo Ronda JC.

Para a perícia o corpo também foi esquartejado e jogado no poço. Exames finais não atestaram que os restos mortais foram queimados. Essa possibilidade foi analisada porque os primeiros peritos que estiveram no local do crime acreditavam que havia sinais fortes de que os restos mortais estavam carbonizados.

ACOMPANHE A COBERTURA DO CASO:

Após desaparecimento de médico, residência passou por dedetização

Prisão da esposa e filho do médico não é ilegal, afirma desembargador

Médico e esposa tinham brigas constantes por causa de dinheiro, diz testemunha

Morte em Aldeia: corpo não foi queimado, aponta perícia

69% dos homicídios registrados em Pernambuco em 2017 não foram esclarecidos


Veja também