30
set

MPPE investiga transferência de delegado que prendeu filho de vereadora

30 / set
Publicado por Raphael Guerra às 14:55

O delegado Israel Rubis foi surpreendido pela transferência da delegacia. Foto: Divulgação

Há pelo menos uma semana o município de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, está em ebulição. Tudo começou após a notícia de que o delegado Israel Lima Braga Rubis seria transferido para outro município, por determinação da Polícia Civil. Moradores da região afirmam que a transferência tem caráter político e se trata de uma perseguição após meses após o delegado ter prendido o filho de uma vereadora do PSB, durante uma operação que desarticulou uma quadrilha especializada em homicídios em dezembro do ano passado. O Ministério Público de Pernambuco instaurou um procedimento para investigar o caso.

A guerra da vereadora Célia Almeida Galindo contra o delegado Israel Rubis ocorreu no último dia 02 de setembro. No plenário da Câmara dos Vereadores de Arcoverde, ela afirmou que a autoridade policial era um “camarada descarado”. A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe) emitiu nota de repúdio, e pontuou que o delegado apenas cumpriu o seu dever ao prender a organização criminosa.

Dias se passaram até que Israel Rubis foi notificado, via portaria da Secretaria de Defesa Social (SDS), sobre a transferência para Vitória de Santo Antão. Desde então, os protestos na cidade não pararam.

Em entrevista ao Ronda JC, por telefone, o delegado Israel Rubis disse que foi surpreendido pela transferência. “Não me foi dada a oportunidade de escolha. Fui apenas comunicado pela Chefia da Polícia Civil”, disse.

“A população entendeu como uma remoção política, em virtude de estarem sendo realizadas investigações contra vereadores, e resolveu se mobilizar contra tal ato. Uma mobilização espontânea, jamais vista em Pernambuco em prol de um gestor. É uma grande satisfação profissional sentir o apoio da sociedade pelos 16 meses de dedicação nos serviços prestados”, completou o delegado.

Israel tem até a próxima quarta-feira (02) para se apresentar na nova delegacia. Ele assumirá a 6ª Delegacia de Polícia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Dnarc), com sede em Vitória de Santo Antão e com abrangência de nove municípios do Agreste e da Zona da Mata.

INVESTIGAÇÃO

A assessoria do MPPE confirmou que instaurou um procedimento para apurar a remoção do delegado. O promotor de Justiça Bruno Miquelão Gottardi, da 4ª Promotoria de Arcoverde, determinou envio de ofício à Secretaria de Defesa Social requisitando informações sobre o procedimento de remoção. A SDS tem o prazo de 10 dias para responder. Entre as perguntas, o promotor quer saber qual o interesse público na remoção do delegado, e se a mudança de município foi voluntária ou não.

RESPOSTA

Em nota ao blog, a Polícia Civil afirmou que “transferências de profissionais são corriqueiras e naturais dentro não apenas na Polícia Civil, mas em qualquer órgão público. Os servidores públicos devem ir ao encontro da necessidade da população e também atuar de forma integrada dentro plano estratégico de segurança que traga resultados na redução da criminalidade. Insinuar que a transferência técnica tem motivação política é desconhecer completamente as razões reais ou tentar manipular os fatos para tirar alguma vantagem com esse processo de desinformação da população. Como todas as falsas narrativas, não se sustentarão”, informou.

LEIA TAMBÉM

Patrícia Domingos vence batalha judicial contra o Governo de PE

Delegados são culpados pelo excesso de inquéritos parados nas delegacias?

 


Veja também