04
jan

25º Janeiro de Grandes Espetáculos começa marcado por polêmica

04 / jan
Publicado por Márcio Bastos às 19:41

O 25º Janeiro de Grandes Espetáculos (JGE) começa na terça-feira (8) com mais de 100 atrações de artes cênicas e música de Pernambuco e de outros estados do País. Este ano, a maratona artística tem duração estendida, seguindo até 14 de fevereiro, resultado de uma parceria com o Festival do Teatro Brasileiro (FTB). Outra novidade dos 25 anos é a descentralização das ações, com montagens e shows realizados, além do Recife, em Camaragibe e em Serra Talhada.

Renata Carvalho em cena de ‘O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’. Foto: Leonardo Pastor/Divulgação

Antes mesmo de começar, esta edição, que deveria ser comemorativa, causou um estremecimento na classe artística do Estado após a produção anunciar o cancelamento da peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, protagonizado pela atriz Renata Carvalho. Em protesto à decisão, vista como um ato de censura, quatro coletivos – Trema! Plataforma de Teatro, o ator Cleyton Cabral, e os grupos Amaré de Teatro e Experimental – retiraram seus trabalhos do festival.

De acordo com carta aberta da equipe do Janeiro, por pressões da bancada evangélica, a produção do festival, que conta com financiamento da Prefeitura e do Governo do Estado foi obrigada a retirar a peça da programação para “resguardar a realização do próprio projeto e preservar suas fontes de financiamento”.

Segundo o produtor Paulo de Castro, da Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco, que se reuniu com a classe artística na última sexta-feira, a retirada da montagem da grade reforça a fragilidade financeira à qual está submetida o festival – que ainda não conseguiu honrar as dívidas do ano passado devido à atrasos no pagamento dos patrocinadores.

“Se a gente enfrentasse (essa pressão de censura), talvez não tivéssemos os teatros públicos e isso impossibilitaria a realização do Janeiro. Na reunião que tivemos com a classe, ficou decidido que ao final de cada apresentação serão feitas falas de repúdio à censura e que, no próximo ano, vamos criar uma comissão que vai tentar fortalecer a classe e evitar episódios como esse. O Janeiro é um festival dos artistas, fundamental, e temos que reforçar que este tipo de censura não cabe”, disse em entrevista ao Jornal do Commercio.

Para Renata Carvalho, que interpreta Cristo em O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, o que aconteceu é inadmissível. Esta não é a primeira vez que o espetáculo, cuja temática discute tolerância ao colocar uma atriz trans interpretando a figura bíblica, sofre cerceamento no Estado: em julho do ano passado, foi cancelado no Festival de Inverno de Garanhuns. Na ocasião, pressões da prefeitura da cidade e da Igreja Católica, motivaram a decisão do Governo.

“Acho que ninguém entendeu o momento que estamos vivendo, estamos sendo cerceados e atacados desde o primeiro dia deste novo governo. Fico mais triste, além de tudo isso, é essa não aderência dos artistas, de não mostrar que nossa classe é unida – a aqui quero agradecer aos artistas que retiraram suas peças em apoio. Ninguém solta a mão de ninguém, é balela. Porque antes de não soltar, esquecemos primeiro de nos dar as mãos. Não estamos de mãos dadas. O festival teria muito mais impacto se ninguém apresentasse, ia gerar outro tipo de discussão”, afirmou Renata Carvalho, reforçando ainda que o episódio de censura em Garanhuns ainda exerce muito impacto sobre ela devido à truculência policial, que impediu uma das apresentações.

ESTREIAS

Ao todo, o festival contará com mais de 20 estreias nas diferentes linguagens artísticas. Em dança, ganham cena obras como Agbara Obirin, da Cia. de Dança Daruê Malungo, e Um Pano Que Limpa o Tempo, da Compassos Cia. de Dança. Em teatro, uma das novidades é Eu, Ele ou Você?, da Real Cia. de Teatro Albemar Araújo.

No segmento musical, destaque para o lançamento dos CDs Frevo Para Ouvir Deitado, de Mônica Feijó, Cabeça Coração, de Igor de Carvalho, Vereda Caminho, disco de estreia da carreira solo de Bruno Lins, entre outros.

A maior duração do Janeiro este ano se deve em parte à parceria com o Festival de Teatro Brasileiro (FTB), iniciativa itinerante que trará ao Recife 12 espetáculos do Distrito Federal, uma residência artística, duas oficinas de dramaturgia; ações de formação e qualificação  de plateia, entre outras atividades.

Confira a programação completa do festival aqui.


Veja também