26
fev

Geraldo Vandré em lançamento oportunista de 1979

26 / fev
Publicado por José Teles às 17:33

Geraldo Vandré -1979

A Som Livre anunciou esta semana o relançamento de Geraldo Vandré, álbum do cantor, realizado pela RGE, em 1979, pegando uma carona oportunista na Anistia e fim da censura. Foi tempo de liberação das centenas de canções vetadas pelo regime militar, das quais Caminhando (Pra Não Dizer Que Não Falei de Flores) foi a mais severamente punida e estigmatizada. A única canção proibida que não se  ousava cantar em público durante a ditadura.

Aproveitaram foto de onze anos antes, de Geraldo Vandré no Maracanãzinho, defendendo a satanizada Caminhando, para recauchutar o álbum 5 Anos de Canção, de 1966 (Som Maior). O repertório abre e fecha com versões, de estúdio e ao vivo, de Caminhando, saídas em compacto lançado às pressas em 1968,  pegando aimda o clima do Festival Internacional da Canção daquele ano.

Antes fosse reeditado o 5 Anos de Canção original, com Caminhando como faixa bônus. Seria aberto assim um precedente para a reposição da obra do paraibano. Uma obra desigual , sobretudo neste disco. Parte do repertório de 5 Anos de Canção está no álbum de estreia Geraldo Vandré (1964). Mais letrista que autor de melodias, ele faz parcerias com compositores de magnitudes variadas, daí a falta de linearidade qualitativa das composições.

5 Anos de Canção é o quarto LP de Vandré, que tem temas recorrentes, de engajamento, regionalismos, Fica Mal com Deus,  Porta Estandarte (com Fernando Lona), mas ainda com canções românticas, como Se a Tristeza Chegar, com Baden Powell, que também toca neste disco. É o início do trabalho de Vandré com o Trio Novo, Airto Moreira, Théo de Barros, e Heraldo do Monte, que logo, com a entrada de Hermeto Pascoal, virou Quarteto Novo.

A inclusão de Caminhando acentua ainda mais o desnível de canções de épocas e momentos bem particulares. Quem Quiser Encontrar o Amor, por exemplo, é de 1960, lançada por Maysa naquele ano, e em 1961 pelo próprio Vandré. Enquanto Rosa Flor (com Baden Powell) é uma bossa nova, de 1961, gravada originalmente pela esquecida Lucienne Franco. É torcer para que este álbum seja o início do relançamento da discografia de Geraldo Vandré cujo disco mais consistente é Canto Geral, de 1968, o último LP que gravou no Brasil.

Confiram Geraldo Vandré no áudio de Porta Estandarte:


Veja também