23
dez

Disco do Domingo – Mortimer, um Allen Klein no meio do caminho

23 / dez
Publicado por José Teles às 20:44

O disco do domingo é também uma daquelas notinhas de rodapé de página na história do rock dos anos 60. O álbum On Our Way Home, com o trio americano Mortimer, formado por Tom Smith (vocal, guitarra), Tony Van Benschoten (contrabaixo, guitarra, voz), Guy Masson (vocal, bateria, percussão). Um grupo de folk rock que lançou o primeiro LP em 1968, pela Phillips, sem sucesso (gravou antes alguns compactos, sem repercussão).

Sabendo que John Lennon e Paul McCartney encontravam-se em Nova Iorque, hospedados no apartamento do advogado dos Beatles, Nat Weiss, a dois quarteirões onde morava Guy Masson, os três músicos, mal saídos da adolescência, decidiram entregar o álbum a John e Paul. Conseguiram chegar ao apartamento de Weiss.

O advogado recebeu o LP, demorou alguns instantes, retornou dizendo que entregara a John Lennon. No mesmo ano o trio viajou à Londres para tentar a sorte. Mas não conseguiram muita coisa, além de tocar uma vez no Marquee. Na véspera de retornar a Nova Iorque, leram um anúncio da Apple solicitando canções para o álbum de estreia de Mary Hopkins, uma das contratadas da gravadora dos Beatles, e estourada nas paradas com, Those Were the Days.

Correram ao escritório da Apple, apresentaram-se como Mortimer, e disseram que traziam músicas para mostrar. “Basta deixar a fita demo”, disse a secretária. Os rapazes alegaram que viajariam no dia seguinte para os EUA, não teriam tempo de gravar. A secretária ligou para Mike O’Connor da editora da Apple, citou o nome Mortimer, O’Connor disse que atenderia o grupo. Ele se lembrou da banda. O disco que John Lennon ganhara em Nova Iorque estava com ele.

Quando o trio mostrava uma música, Sweet Life, a O’Connor, de uma das duas portas da sala, surgiu George Harrison, batendo palmas e dançando no ritmo da canção que tocavam, sem parar, ele disse para o editor da Apple: “Contrate a banda”, e saiu pela outra porta. Meio cena de cinema,

Tom, Tony e Guy receberam o tratamento de luxo que a Apple reservava aos seus contratados. A produção foi de Peter Asher, que levou o grupo para um dos melhores estúdios de Londres, o Trident, e gravou 39 canções com eles (menos Sweet Love, que era do álbum que fizeram pela Phillips).

Músicos de estúdio foram contratados para reforçar o som do Mortimer, inclusive os percussionistas africanos que tocaram na gravação de Simpathy for the Devil, dos Rolling Stones. Na hora de escolher o single, que ficou entre I Didn’t Know e You Don’t Say You Love Me, apareceu Paul McCartney, que achou as canções boas, mas não para um single. Ofereceu uma música que acabara de fazer, chamada On Our Way Home.

Deu-lhes um acetato, com ele e John num dueto da música que seria lançada pelos Beatles, em 1970, com o título de Two Of Us, no album Let it Bee. Os integrantes da Mortimer não acharam que a música de McCartney desse um bom single, mas concordaram, não iam recusar uma composição de um Beatle.

Aí entra Allen Klein, recém empossado como empresário dos Beatles, o que lhe dava o poder de ingerência nos negócios desenvolvidos pela banda. Ele simplesmente mandou engavetar o disco da Mortimer. A Apple estava no vermelho, precisava cortar gastos. Lançar discos de novatos fazia parte dos cortes.

O Mortimer parou por ai. O grupo acabou. Tom Smith e Tony Van Benschoten continuaram morando na Inglaterra a fim de evitar uma convocação para as forças armadas, que poderiam levá-los ao Vietnam. Guy Masson voltou para Nova Iorque (chegou a participar do álbum Moondance, de Van Morrison. Porém, assim como os dois amigos da Mortimer, abandonou a música.

O álbum permaneceu inédito até 2017, quando foi lançado com 15 faixas, pela Cherry Records, apenas Tony Van Benschoten, trabalhou na restauração e masterização dos tapes. Tom e Guy são falecidos.

Coda – Allen Klein, também falecido, foi o calo do Mortimer. Em 1966, quando o grupo se chamava Teddy Boy, foi contratado pela gravadora, de Filadélfia, Cameo-Parkway Records. Quando Allen Klein, através da sua gravadora, a Abkco, assumiu o controle da Cameo, dispensou os Ted Boys.

 

 

 

 


Veja também