Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Dos 60 clubes das Séries A, B e C, apenas cinco lembraram Dia Contra a Homofobia

Karoline Albuquerque
Karoline Albuquerque
Publicado em 17/05/2018 às 18:35
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter
Leitura:

Dezessete de maio celebra o Dia Internacional Contra a Homofobia. Em um desporto ainda muito excludente como é o futebol, até as 18h30, apenas quatro times que compõe a Série A do Campeonato Brasileiro lembraram da data e publicaram mensagens de apoio direcionadas à comunidade LGBT em seus perfis oficiais nas redes sociais durante o dia.

O Bahia destacou que é o clube do povo e explicou a escolha da data. "O Dia Internacional de Combate à Homofobia marca a extinção da classificação de "distúrbios de sexualidade" como doença por parte da Organização Mundial da Saúde. Dê um basta no preconceito", publicou o clube, junto a uma imagem que diz "Não há nenhum impedimento".

O Internacional também citou ser o time do povo. "Somos o clube do povo, somos livres de preconceito."

LEIA MAIS:

Brasil foi 6º que mais pagou multa à Fifa por homofobia no futebol

Estudo aponta Brasil como favorito ao título na Copa do Mundo

A um mês da Copa do Mundo, Brasil permanece em 2º no ranking da Fifa

O Vasco também lembrou sua origem inclusiva em sua mensagem. "Nós somos o clube da igualdade e do respeito. Entre todos", diz o post vascaíno. Já o Grêmio publicou um vídeo onde diz que é um clube de todas as cores, onde todos têm valor. "Hoje é mais um dia para lembrar que somos únicos e merecemos respeito", escreveu.

Na Série C, apenas o paraense Remo utilizou as redes sociais para lembrar a data e pediu respeito e tolerância. "O Clube do Remo convida toda a sua Nação a trabalhar a tolerância e o respeito ao próximo, para que possamos tornar o esporte um ambiente mais saudável e convidativo para todas as pessoas. Pense nisso."

Um levantamento realizado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) apontou que, no ano de 2017, 445 pessoas LGBTs foram mortas em crimes motivados por homofobia, representando uma vítima a cada 19 horas. No número, 194 eram gays, 191 eram pessoas trans, 43 eram lésbicas e cinco eram bissexuais. A maioria dos casos aconteceu em vias públicas, com 56% crimes. Já 37% das vítimas estavam em casa quando foram assassinadas.

A lista de 2017 ainda traz o estado de Pernambuco como o 6º com maior número de crimes de ódio contra a população LGBT, contabilizando 27 casos. A região Norte teve a maior média de casos, com 3,23 por milhão de habitantes, seguido por Centro-Oeste e Nordeste.

Últimas notícias