Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

Ronaldinho Gaúcho será 'embaixador' do turismo, apesar de passaporte retido

Karoline Albuquerque
Karoline Albuquerque
Publicado em 06/09/2019 às 16:50
Ronaldinho Gaúcho já passou um período fora da seleção brasileira. Foto: AFP
Ronaldinho Gaúcho já passou um período fora da seleção brasileira. Foto: AFP
Leitura:

Da AFP - Ronaldinho Gaúcho será "embaixador" do turismo no Brasil, anunciou nesta quinta-feira (5) o Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), apesar de o ex-craque do futebol estar com seu passaporte retido por não pagar uma multa ambiental. Com milhões de seguidores nas redes sociais, Ronaldinho foi escolhido com base em uma estratégia para promover destinos turísticos e atrair pessoas de todo o mundo para o Brasil.

"O turismo é importantíssimo para gerar empregos e recuperar nossa imagem internacionalmente", disse Ronaldinho.

LEIA MAIS:

>Gareth Bale se sente “mais forte que nunca” em retomada no Real Madrid

>Com Neymar, Brasil encara amistoso contra a Colômbia

>Rival do Brasil, Peru é derrotado pelo Equador nos Estados Unidos

"Você pega o caso do Ronaldinho, uma pessoa que tem quase 100 milhões de seguidores em suas redes e nos ajuda voluntariamente, sem custos, por patriotismo", destacou o diretor de Marketing e Relações Públicas da Embratur, Osvaldo Matos.

Ronaldo de Assis Moreira foi eleito em 2004 e 2005 o Melhor jogador do mundo pela FIFA, e conquistou o título de campeão na Copa do Mundo do Japão/Coreia, em 2002.

Ronaldinho Gaúcho teve seu passaporte apreendido em 2018 e não pode sair do Brasil. Em 2015, Ronaldinho e seu irmão Roberto foram condenados a pagar uma multa pela construção ilegal de um trapiche de pesca em uma Área de Preservação Permanente. Como não ocorreu o pagamento voluntário, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul decidiu apreender os passaportes dos dois.

De acordo com o Ministério Público, a multa inicial de R$ 800 mil já ultrapassa o valor de R$ 8 milhões.

Últimas notícias