Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Finalistas da Série C 2019, Náutico e Sampaio Corrêa se reencontram em situação diferente na Segundona

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 14/11/2020 às 14:06
FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Leitura:

Depois dos caminhos de Náutico e Sampaio Corrêa se cruzarem na fase decisiva da Terceira Divisão do ano passado, onde as duas equipes fizeram a final da competição e o Timbu levou a melhor, 2020 trouxe consigo um cenário diferente para os pernambucanos neste confronto. Acrescenta-se que o panorama de quando o jogo aconteceria antes de ser adiado - pois é válido pela 111ª rodada- no fim de setembro, também é bem diferente do atual.

LEIA MAIS

>> Apático e inofensivo, Náutico perde para o Operário-PR fora de casa

>> Conselho Deliberativo do Náutico afirma que não houve veto à camisa preta

>> Sport, Santa Cruz e Náutico se engajam no Novembro Azul

Antes, o Alvirrubro vinha em boa fase e brigava para se aproximar do G4, enquanto o Tubarão se recuperava após um início turbulento pelos vários casos de covid-19 no elenco e tinha acabado de deixar a zona de rebaixamento. Agora, o Náutico tenta fugir do Z4, mas demonstra um abatimento muito grande e vê a distância para sair do grupo dos piores crescer ainda mais. Atualmente, quatro pontos separam o Timbu do Vitória (20x24). Daí surge a necessidade de engatar uma boa sequência na competição para não ficar mais atrás dos adversários diretos nessa luta.

Do lado maranhense, a situação se inverteu. Depois que passou a contar com vários dos seus jogadores novamente, recuperados da covid-19, o time cresceu muito de produção e hoje briga pelo acesso. Se o Náutico, nas últimas 11 partidas venceu apenas uma, empatou quatro e perdeu seis, o Sampaio Corrêa, neste mesmo recorte, acumula sete vitórias, três empates e uma derrota. O Alvirrubro, convive com muita pressão e o técnico Gilson Kleina sofre o risco de perder o cargo. Enquanto que no Tricolor Maranhense, Léo Condé conta com muito prestígio, ainda mais com a recuperação que conseguiu.

O Náutico adotou a ‘lei do silêncio’ logo após a derrota na sexta-feira (13) para o Operário-PR. Por decisão do executivo de futebol, Fernando Leite, o técnico Gilson Kleina nem qualquer outro integrante do departamento de futebol concederia entrevista. Tentativa de blindar o elenco diante de toda pressão sofrida pelos maus resultados e a situação na Segundona, na 17ª colocação com 20 pontos. Por outro lado, acaba isolando mais o time neste momento, no qual o torcedor alvirrubro quer explicações sobre os vários problemas apresentados dentro de campo.

Últimas notícias