Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Antes jogando a cada três dias, Náutico aproveita descanso para encarar reta final da Série B

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 24/12/2020 às 9:33
Foto: Caio Falcão/Náutico
Foto: Caio Falcão/Náutico
Leitura:

Depois de engatar uma sequência de cinco jogos de invencibilidade na Série B e estar momentaneamente fora da zona de rebaixamento, o Náutico terá uma parada de 13 dias entre o jogo contra o Cuiabá para o próximo duelo, diante do Confiança, no dia 4 de janeiro. Por um lado, pode-se haver um questionamento de que há uma quebra no ritmo, justamente na melhor fase do time sob o comando de Hélio dos Anjos. Por outro, é de se aproveitar o descanso para recuperar os jogadores que acumulam uma grande sequência de jogos e poder contar novamente com aqueles que estão entregues ao departamento médico. O elenco volta a treinar no próximo domingo (27) e, pelo empenho nos últimos jogos, a folga dada até lá é merecida.

LEIA MAIS

>> Olímpia-PAR quer Paiva de volta e Náutico tenta ampliar empréstimo até fim da Série B

>> Sob o comando de Hélio dos Anjos, Náutico ressurge e faz valer força dos Aflitos

>> Gol contra o Cuiabá evidencia bom momento de Rafael Ribeiro no Náutico

>> Náutico repete a fórmula

“Estamos vindo de uma pegada muito forte com jogo, viagem e jogo de novo. Acho que merecíamos essa parada para dar uma descansada e curtir um pouco a família. Até o momento, estamos fora da zona, mas é isso aí. Vamos descansar, aproveitar com a família, para que na hora que voltarmos, possamos estar com tudo para colocar o Náutico num bom lugar. Infelizmente, esse ano, eu acho que não dá para colocar o clube onde ele deveria estar, mas vamos deixar onde nós pegamos com o grupo”, comentou o meia Jean Carlos, autor de um gol e uma assistência no último confronto.

Essa pausa é bastante válida para o Náutico, até porque o Timbu fez sete partidas em 22 dias de dezembro, uma média de um jogo a cada três dias. O que piora ainda mais o cenário são as várias viagens que a equipe precisou fazer, indo até Florianópolis-SC, Ribeirão Preto-SP e Chapecó-SC, intercalando com voltas ao Recife para jogar em casa. Um espaço de tempo curto, com pouca possibilidade de treino e foco no descanso, ainda com a pressão por resultados vinda da colocação incômoda no Z4 até o momento. Mesmo assim, o comandante alvirrubro não se deixou levar pelo cenário desfavorável e procurou extrair ao máximo dentro das condições que lhe foram postas. Agora, com esse descanso, ele quer tornar o time ainda mais forte para essa sequência final da Segundona.

“Eu não sou de reclamar de calendário. Vocês não me viram reclamar de jogar domingo em Ribeirão Preto-SP, quarta-feira em Chapecó-SC e sábado à tarde aqui no Recife. Se tenho a paralisação, tenho que saber usar. O grupo vai ter três dias de folga, se apresenta no dia 27 de manhã e vamos fazer treinamentos. Nós temos que aproveitar, descansar esse grupo, recuperar um jogador ou outro que vem jogando com pequenas dores, e vamos tentar ser fortes no nosso retorno”, pontuou Hélio dos Anjos.

Últimas notícias