Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Atletas do Uruguai defendem Cavani após a Federação Inglesa de Futebol acusá-lo de racismo

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 04/01/2021 às 16:36
Cavani é um dos principais jogadores do United. Foto: AFP
Cavani é um dos principais jogadores do United. Foto: AFP
Leitura:

AFP - A Federação de Futebolistas do Uruguai acusou nesta segunda-feira (4) os dirigentes ingleses de discriminação após a sanção que a federação do país impôs a Edinson Cavani alegando "racismo".

O atacante do Manchester United foi suspenso por três jogos na quinta-feira passada, depois de responder agradecendo a uma mensagem no Instagram de um amigo com as palavras "Gracias, negrito".

"Longe de fazer uma defesa contra o racismo, o que a Federação Inglesa de Futebol (FA) cometeu é um ato discriminatório contra a cultura e o modo de vida dos uruguaios", disse a Federação Uruguaia de Futebol (AFU), formada por jogadores profissionais e amadores, masculinos e femininos, em comunicado divulgado nesta segunda.

LEIA MAIS

>> Com transmissão do SBT e da TV Jornal, Palmeiras encara o River Plate pela semifinal da Libertadores

>> Até agora, nem sinal do Campeonato Pernambucano

"A sanção revela uma visão tendenciosa, dogmática e etnocêntrica que não admite mais do que a leitura que se quer impor a partir de sua interpretação subjetiva particular e excludente". A associação destaca que Cavani "nunca cometeu um único ato que pudesse ser considerado racista", mas usou "uma forma habitual de expressão" para "se referir carinhosamente a um ente querido".

"Querer que a única forma válida de interpretação na vida é aquela nas cabeças dos dirigentes da Federação Inglesa de Futebol é em si um ato verdadeiramente discriminatório, totalmente repreensível, contra a cultura uruguaia", acrescentou o comunicado.

Os futebolistas destacaram que a FA expressa através da sua sanção "o seu total desconhecimento e desprezo por uma visão multicultural do mundo, que respeite a pluralidade". "Não foi condenada uma única pessoa, mas sim nossa cultura, nosso modo de vida. Isso é discriminatório e racista", assinam os jogadores uruguaios no texto. No final, a declaração insta a federação a revisar "urgentemente" seus processos de tomada de decisão em relação a essas questões e a suspender a sanção imposta a Cavani.

Depois de escrever "Gracias, negrito" em resposta a uma mensagem de felicitações que um amigo lhe enviou após os dois gols decisivos na vitória do Manchester United sobre o Southampton (3-2), pela décima rodada da Premier League, Cavani apagou rapidamente a mensagem, alertado sobre as políticas da FA.

Seu clube o defendeu, explicando que o termo era usado com um sentido amigável e que na América do Sul tem uma conotação diferente. Mas a FA considerou a mensagem uma violação das regras e o suspendeu por três jogos com uma multa de 100 mil libras (111 mil euros/137.800 dólares). A Academia Uruguaia de Letras já havia protestado contra a sanção na sexta-feira, acusando a FA de ser "ignorante".

Últimas notícias