Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Santa Cruz e a indefinição na dupla de ataque para o duelo decisivo contra o Brusque

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 13/01/2021 às 11:01
Pipico não vive um bom momento. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Pipico não vive um bom momento. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Se perguntarem ao torcedor do Santa Cruz qual será a dupla de ataque do Tricolor para o duelo decisivo diante do Brusque, no próximo domingo, provavelmente as respostas serão diferentes. E isso acontece pelo fato do setor viver um baixa técnica considerável no quadrangular, sobretudo de Pipico, principal atacante mas que não marca há sete jogos pela Cobra Coral. Portanto, dá para se dizer que a dupla de ataque que vai iniciar contra o Brusque ainda é uma incógnita.

RANGEL LARGA NA FRENTE

Dos atacantes que jogaram pelo Santa Cruz até aqui no quadrangular, Victor Rangel é o que vem tendo melhor desempenho. Ele, aliás, foi o único do setor de ataque que marcou nos últimos cinco jogos. Além do tento na derrota diante do Vila Nova, na segunda rodada do quadrangular, Rangel também deu uma assistência para o primeiro gol do meia Chiquinho na vitória do Tricolor contra o Ituano, na terceira rodada. No último duelo da Cobra Coral, aliás, diante do Vila Nova, Rangel participa do gol marcado por Chiquinho já na reta final da partida. O atacante chuta de fora da área, a bola bate na trave e o meia faz no rebote.

Ou seja, em um universo de cinco gols marcados pelo Santa Cruz neste quadrangular, Rangel marcou um, deu um assistência para outro, e participou de forma efetiva de mais um, contribuindo praticamente com três desses cinco tentos. E olhe que o mesmo só foi titular em duas ocasiões até o momento - justamente nas duas partidas contra o Ituano. Portanto, a tendência é de que Rangel comece no próximo domingo, diante do Brusque, seja ao lado de Pipico ou fazendo dupla com um jogador de velocidade.

DÁ PARA MANTER PIPICO?

A fase do atacante Pipico é ruim. Sem marcar há sete jogos, o atacante vive um jejum que incomoda bastante. E que também exemplifica bem a queda do setor ofensivo do Santa Cruz neste quadrangular. Portanto, mesmo em má fase, o atacante foi titular em todas as cinco partidas do Tricolor nesta fase decisiva. Para alguns tricolores, o jogador já deveria ter ido para o banco de reservas. Já outros acreditam que, mesmo em má fase, Pipico deve ser mantido no time de cima e dar a volta por cima.

Por critérios técnicos avaliados especificamente neste quadrangular, não seria grande surpresa o atacante Pipico ficar no banco de reservas no próximo domingo, em um jogo onde o Santa Cruz precisa vencer a todo custo. No entanto, mesmo com essa má fase, o jogador conta com a confiança da comissão técnica, além de já ter mostrado em outras oportunidades como ele pode fazer a diferença. Diante deste cenário, por mais que não esteja em melhor fase, o jogador deve ser titular, provavelmente formando dupla de ataque com Rangel.

LEIA MAIS

Prefeito do Rio de Janeiro afirma que medida que permite volta de torcida aos estádios será revogada

Paulinho defende que Santa Cruz tem plenas condições de conquistar o acesso à Série B

Veja os cenários que fazem o Santa Cruz conquistar o acesso para a Série B

OUTRA CHANCE PARA LOURENÇO?

O atacante Lourenço foi titular em três dos cinco jogos do Santa Cruz no quadrangular nesta Série C. No entanto, não vem conseguindo desempenhar um bom papel, seja entrando de frente ou no decorrer dos jogos. Será que terá outra chance no time titular?

OUTROS NOMES

Além desses três nomes, o técnico Marcelo Martelotte tem mais dois nomes que brigam por uma vaga mas correm por fora: Caio Mancha e Jáderson. O primeiro é um centroavante mais de área, enquanto o outro é um jogador de mais velocidade. Ou seja, perfis diferentes.

Últimas notícias