Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Números comprovam a "parede" que Anderson se tornou na meta do Náutico

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 25/01/2021 às 18:58
Anderson foi um dos protagonistas do Náutico na Série B de 2020. FOTO: CAIO FALCÃO/NÁUTICO
Anderson foi um dos protagonistas do Náutico na Série B de 2020. FOTO: CAIO FALCÃO/NÁUTICO
Leitura:

A vinda do goleiro Anderson ao Náutico, no dia 21 de novembro, acabou sendo um dos fatores-chave dentro dos reforços trazidos ao longo do ano para que o Timbu alcançasse a meta - não prevista - de se livrar do rebaixamento. Não somente ele, mas o encaixe defensivo dado por Hélio dos Anjos conseguiu ajustar bastante o time a reduzir a quantidade de gols sofridos. Só que isso passa, também, pela segurança que os atletas encontram em quem defende sua meta. Anderson conseguiu fazer isso muito bem. E os números do arqueiro provam a importância que ele teve neste período.

Ao todo, o goleiro vindo por empréstimo do Athletico Paranaense disputou 15 partidas com a camisa do Náutico e sofreu apenas 10 gols. Média de 0,66 gol por jogo. Deste total de confrontos, ele não foi vazado em oito. Ou seja, um aproveitamento de 53,3% de clean sheets - termo inglês para quando o goleiro não sofre gols. Entre os goleiros com, ao menos, 15 duelos disputados na Série B, o alvirrubro é o segundo melhor nesse aproveitamento. Perde apenas para João Ricardo, da Chapecoense, com 66,7%. Em números totais, os oito clean sheets de Anderson o colocam em 10º na competição. Na liderança, o arqueiro da Chape soma 24.

LEIA MAIS

>> Presidente do Náutico diz que permanência não era meta inicial, mas comemora objetivo alcançado

>> Semana de muito futebol na tela da TV Jornal, com Santa Cruz e final da Libertadores

>> Jean Carlos acredita que Náutico precisa ”rever muitas coisas” para conseguir acesso

Antes de Anderson chegar ao Náutico, Jefferson foi titular por 19 partidas e passou em branco somente em quatro duelos. Logicamente há outros fatores que influenciam, já que foram três técnicos diferentes no comando do Timbu, diferentes estilos de jogo e tipos de marcação. Então, desta forma, o hoje reserva passou por fases conturbadas, que mexeram com sua confiança. Além de Jefferson, Marcão (hoje no Vila Nova) e Halls defenderam a meta alvirrubra nesta edição da Segundona.

Vale destacar também que a chegada de Anderson passou mais confiança aos seus companheiros de equipe graças às boas atuações e várias defesas que fez. Por exemplo, no duelo contra a Chapecoense, fora de casa, fez uma belíssima defesa no começo do primeiro tempo, evitando o que seria um gol dos catarinenses. Outras boas atuações em casa, mesmo pouco acionado, também fizeram a diferença. Neste caso, com a boa saída de bola, onde encaixava lançamentos para Kieza, que saía no mano a mano com a defesa adversária e criava oportunidades de perigo. Aspectos que fizeram a diferença no jeito de jogar do Náutico com Hélio dos Anjos. Isso reforça que ele foi o melhor jogador que chegou ao Náutico durante a Série B e colocam como natural a tentativa de renovar o contrato de empréstimo com o atleta. Situação que a direção já tenta encaminhar junto ao Furacão paranaense.

Goleiros com mais clean sheets na Série B

1 - João Ricardo (Chapecoense): 24 em 36 jogos;

2 - João Carlos (Cuiabá): 15 em 33 jogos;

3 - Fábio (Cruzeiro): 14 em 36 jogos;

4 - Matheus Cavichioli (América-MG): 13 em 31 jogos;

5 - Rafael Martins (Brasil de Pelotas-RS): 13 em 34 jogos;

6 - Marcelo Carré (Juventude): 11 em 32 jogos;

7 - Ronaldo (Vitória): nove em 26 jogos;

8 - Matheus Mendes (CSA): nove em 27 jogos;

9 - Rafael Santos (Confiança): nove em 31 jogos;

10 - Anderson (Náutico): oito em 15 jogos.

Goleiros com melhor aproveitamento em clean sheets

1- João Ricardo (Chapecoense): 66,7% de aproveitamento;

2 - Anderson (Náutico): 53,3% de aproveitamento;

3 - João Carlos (Cuiabá): 45,5% de aproveitamento;

4 - Matheus Cavichioli (América-MG): 41,9% de aproveitamento;

5 - Fábio (Cruzeiro): 38,9% de aproveitamento.

VEJA MAIS CONTEÚDO SOBRE O NÁUTICO

Últimas notícias