Blog do Torcedor - Tudo de Brasileirão, futebol internacional, Fórmula 1, NBA, NFL e todos os esportes
Torcedor

Notícias do Brasileirão; de Náutico, Santa Cruz e Sport; e futebol internacional. Fórmula 1, NBA, NFL e todos os esportes com análise, interatividade e opinião

Vice-presidente do Náutico aposta em nova campanha de sócio para reforçar o elenco na Série B

LOURENÇO GADÊLHA
LOURENÇO GADÊLHA
Publicado em 09/03/2021 às 17:06
Diógenes Braga apostou na nova campanha de sócios que será lançada para incrementar o orçamento do Náutico. Léo Lemos/Náutico
Diógenes Braga apostou na nova campanha de sócios que será lançada para incrementar o orçamento do Náutico. Léo Lemos/Náutico
Leitura:

Com apenas duas competições oficiais por disputar em 2021, o investimento do Náutico na contratação de reforços tem sido mais tímido neste início de ano. A não participação na Copa do Nordeste e Copa do Brasil causou problemas no planejamento financeiro da temporada, uma vez que as cotas das duas competições costumam ser um alento nos cofres do clube. Neste contexto, para iniciar o pernambucano, o Timbu apostou na manutenção da base que atuou na Série B junto com a chegada de poucos reforços, que juntos, representam uma folha salarial em torno de R$ 600 mil. De acordo com o vice-presidente de futebol alvirrubro, Diógenes Braga, para qualificar o elenco antes do início do nacional, que requer um nível mais elevado, será preciso um incremento no orçamento. Para conseguir isso, a diretoria aposta na nova campanha de sócios que deve ser lançada ainda nesta semana.

"A gente pretende trabalhar com uma folha salarial no pernambucano na casa dos R$ 600 mil. Isso foi o nosso orçamento apresentado ao Conselho Deliberativo. Pretendemos sim fazer um incremento no Campeonato Brasileiro. Contudo, isso vai depender bastante da capacidade de captação de recursos que a gente tenha. A gente lança essa semana uma campanha de sócios e a gente tem uma expectativa muito boa. Acreditamos que pode realmente ser um plus importante no nosso orçamento", disse em entrevista ao repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, durante a exibição do programa Bola Rolando.

LEIA MAIS:

> Executivo de futebol revela que Náutico está próximo de anunciar um novo zagueiro

Hélio dos Anjos espera contar com Rafinha no jogo do Náutico diante do Vera Cruz

Mesmo com amistoso, Hélio não enxerga de forma positiva longo intervalo entre jogos do Náutico

> Náutico, Sport e Santa Cruz prestam homenagens ao Dia Internacional da Mulher

Hélio dos Anjos diz que não foi consultado sobre possível retorno de Derley ao Náutico

Com a campanha prestes a ser lançada, ele também destacou a importância do sócio alvirrubro, que se manteve ao lado do clube mesmo em meio às dificuldades impostas pela pandemia da covid-19. "É válido colocar que o associado, mesmo com a pandemia, sempre esteve muito presente. Então a gente acredita muito numa boa resposta dessa campanha e ela pode sim ser um diferencial que traga para gente a possiblidade de um incremento de folha, como outras situações, como negociações de atletas", acrescentou.

Apesar de ter elogiado a postura do torcedor alvirrubro, a realidade é que o Náutico teve uma queda acentuada no número de sócios desde o início da pandemia, em março de 2020, especialmente em razão da paralisação das competições. Ao fim daquele mês, o clube teve um total de 2 mil pedidos de cancelamento no plano de sócio torcedor. Meses depois, no retorno dos jogos sem a torcida nos Aflitos, o número continuou em queda. Atualmente o Timbu conta com 9.360 adimplentes, bem distante do número que chegou a mais de 15 mil em 2019.

Além da queda no número de sócios, a pandemia do novo coronavírus também trouxe outros reflexos negativos para à gestão do Náutico, assim como tem sido em clubes do mundo todo. Notabilizada por honrar as obrigações desde que assumiu o clube, em janeiro de 2018, a gestão do presidente Edno Melo passou a ter problemas com o pagamento de salários na temporada passada. Para suplantar este problema, portanto, o dirigente alvirrubro afirmou que é necessário continuar seguindo o modelo de gestão austero, respeitando prioritariamente o orçamento estabelecido e apresentado ao Conselho Deliberativo, para não contratar atletas demasiadamente sem ter como pagar.

"A gente hoje encontra-se com uma imagem atrasada. Temos funcionários em dia, carteira em dia, mas uma imagem atrasada, que a gente tem corrido para deixar em dia também. Tem sido muito difícil a parte financeira durante a pandemia. A gente tem realmente uma inviabilidade enorme, mas mesmo assim, temos buscado ao máximo cumprir com as obrigações. Por isso, inclusive, esse rigor que a gente tem de obedecer esse orçamento para não criar ainda mais problemas com uma folha que não podemos pagar", concluiu Diógenes Braga.

Últimas notícias