Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Compra de André em 2017 custou mais de R$ 10 milhões ao Sport

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 16/03/2021 às 5:32
Em 2017, o Sport comprou e não pagou pelo atacante André. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Em 2017, o Sport comprou e não pagou pelo atacante André. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Nessa segunda-feira, o Sport encerrou uma novela que durou quatro temporadas na Ilha do Retiro: a compra do atacante André em 2017. Quanto pagou no total? A milionária quantia de R$ 10.244.046,44. Esse número é a soma das dívidas com o Sporting e Atlético-MG de R$ 8.944.046,44 e R$ 1.300.000,00, respectivamente. Isso porque o Leão, sob o comando do então presidente Arnaldo Barros, comprou o jogador, não pagou ninguém, vendeu ao Grêmio, no ano de 2018 pelo valor de R$ 10, 1 milhão, e não repassou nada ao demais clubes envolvidos na transação. Dessa maneira, a gestão de Milton Bivar ficou com a herança e precisou realizar uma grande engenharia para evitar maiores sanções da Fifa, que no início deste mês de março proibiu o registro de novos jogadores.

Na época da aquisição, o clube português era dono de 50% dos direitos econômicos de André e o Atlético-MG detentor de 20%. Então, em 2017, o Sport acertou a compra pelo valor de R$ 4 milhões ao Sporting e R$ 1,3 milhão ao Galo. E nenhum desses valores foi pago. O atacante teve duas passagens com a camisa vermelha e preta: 2015 e 2017-2018, somando 105 partidas e 43 gols.

A milionária dívida só começou a ser quitada em 2019 com a transação entre o Leão e o clube mineiro envolvendo o volante Jair. Para resolver uma parte do grande problema, os clubes entraram em acordo e o Sport liberou o cabeça de área para acertar com o Atlético-MG em troca do perdão da dívida de R$ 1,3 milhão.

LEIA MAIS

> Por causa do novo decreto estatual, eleição do Sport é adiada pela terceira vez

> Recuperado da covid-19, Thiago Neves volta a treinar no Sport

> Apesar de quarentena mais rígida, jogos de futebol profissional estão mantidos em Pernambuco

> Sport quita dívida com Fifa e CNRD e está liberado para regularizar jogadores

> Sport oficializa contratação do atacante Neílton

Já com o Sporting não teve acordo. Os rubro-negros até tentaram envolver atletas da base, mas não teve jeito. Após abertura de processo por parte do clube europeu, o Sport foi condenado pela Fifa a pagar o valor de 907.500 mil euros, cerca de R$ 6 milhões, em janeiro do ano passado, referente ao não pagamento da compra do atacante André.

No mês de março, a direção rubro-negra recebeu a notificação e ficou sabendo que a não quitação poderia acarretar em fortes punições: do bloqueio no registro de jogadores até perda de seis pontos na Série A do Campeonato Brasileiro. Desde então, até a semana passada, o presidente licenciado Milton Bivar, que tem comandado o futebol do clube, tentou um parcelamento da dívida milionária.

Na temporada 2020, Milton Bivar conseguiu sustentar a dívida e evitar que o Sport sofresse alguma sanção. Para isso, precisou do apoio do irmão, ex-presidente e deputado federal, Luciano Bivar, em negociação com Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

André não rendeu o esperado no Sporting. Foto: Divulgação

Com a permanência do Sport na Primeira Divisão, o clube recebeu recentemente a premiação de quase R$ 12 milhões. Valor que foi usado para quitar a dívida na Fifa e também na Câmara Nacional de Resolução e Disputa (CNRD), da CBF, que puniu o time pernambucano de maneira semelhante, por causa do débito de pouco mais de R$ 1 milhão envolvendo os ex-jogadores Agenor, Marquinhos e Leandro Pereira. No início deste mês, a entidade máxima do futebol bloqueou a regularização de novos jogadores e a CNRD também de renovações.

"Conseguimos finalmente chegar ao valor total da quitação do débito com o Sporting, de Portugal, referente ao não pagamento da compra do atacante André, em 2017. Essa pequena demora envolveu toda a parte burocrática para a liberação dos depósitos em contas judiciais dos valores que recebemos das cotas da TV. Foi uma soma expressiva e que demandou um esforço e uma engenharia financeira do clube para não sofrermos ainda mais", afirmou o presidente em exercício Carlos Frederico.

"Junto com isso resolvemos os três processos pendentes na CNRD que também estavam nos atrapalhando. Esses quase 10 milhões se somam aos demais 40 milhões de reais que pagamos de dívidas de outras gestões. Tudo isso dentro do nosso planejamento. Agora, podemos seguir com o trabalho no futebol", acrescentou o vice.

CONFIRA AS NOTAS OFICIAIS DO SPORT

FIFA

O Sport Club do Recife informa que efetuou, nesta data, o pagamento integral do valor de R$ 8.944.046,44 referente à dívida adquirida em 2017, junto ao Sporting de Portugal, na aquisição do atacante André. Essa soma é resultado de um principal de €$ 907.500,00, mais €$ 213.500,00 de multa e juros, acrescidos de IOF (0,38%) e IR (17,67%).

CNRD

Sport Club do Recife informa que quitou em sua totalidade débitos em aberto na Ca?mara Nacional de Resoluc?a?o de Disputas (CNRD), nesta segunda-feira (15), no valor de R$ 1.030.834,97, contraídas em 2018 e assim distribuídas por processo:

CNRD 2018/I/107 – VALOR TOTAL: R$ 285.620,96 (Referente à divida com jogador Marquinhos)

CNRD 2018/I/173 – VALOR TOTAL: R$ 325.786,71 (Referente à divida com jogador Leandro Pereira)

CNRD 2018/TRB/218 – VALOR TOTAL: R$ 419.427,30 (Referente à divida com goleiro Agenor)

SOMA DOS VALORES TOTAIS: R$ 1.030.834,97

VEJA MAIS CONTEÚDO SOBRE O SPORT

Últimas notícias