Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Guardiola diz que Manchester City não deve repor saída de Agüero

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 03/04/2021 às 8:34
Guardiola não gostou nenhum pouco da criação da Superliga. Foto: AFP
Guardiola não gostou nenhum pouco da criação da Superliga. Foto: AFP
Leitura:

AFP - A queda na receita causada pela pandemia do coronavírus pode levar o Manchester City a não substituir seu atacante e ídolo Sergio Agüero, cuja saída foi anunciada para o final da temporada, disse o técnico Josep Guardiola nessa sexta-feira.

Pensando em uma contratação para a vaga que o argentino vai deixar no ataque, os nomes do norueguês Erling Haaland (Borussia Dortmund), do inglês Harry Kane (Tottenham) e do francês Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain) foram comentados, mas Guardiola não tem certeza de que investimentos dessa quantia sejam realistas.

"Há grandes chances de não podermos contratar um atacante na próxima temporada", disse o técnico espanhol em entrevista coletiva.

LEIA MAIS

> Faixa de capitão arremessada por Cristiano Ronaldo é leiloada por R$ 428 mil

> Imprensa alemã ataca seleção do país após derrota para Macedônia do Norte nas Eliminatórias

> Fredy Guarín, ex-Vasco e Inter de Milão, é detido na Colômbia por violência doméstica

Embora o Manchester City seja um dos clubes mais ricos da Premier League, vem sofrendo financeiramente, assim como os outros, com os efeitos da crise sanitária e da falta de receita com a venda de ingressos. Os jogos estão sendo realizados com portões fechados há um ano.

Guardiola observou ainda que o líder isolado da Premier League tem talentos suficientes em seu elenco para substituir Aguero quando seu contrato terminar, após a temporada atual.

"Atualmente, temos jogadores suficientes na equipe principal e temos jogadores interessantes em nossa estrutura de formação", explicou. "Existem grandes chances, com a situação mundial e os problemas econômicos do futebol mundial, de não contratarmos um atacante para a próxima temporada", destacou.

O atacante argentino assinou com o Manchester City vindo do Atlético de Madrid em 2011, três anos depois de o clube inglês passar para as mãos dos donos, dos Emirados Árabes. Ele vai deixar o City após uma década repleta de conquistas, período em que marcou 257 gols em 384 jogos disputados até o momento.

Últimas notícias