Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

Federação espanhola considera "inviável" que haja público em Bilbao na Eurocopa

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 08/04/2021 às 15:32
Incerteza da pandemia preocupa organização da Eurocopa. Foto: AFP
Incerteza da pandemia preocupa organização da Eurocopa. Foto: AFP
Leitura:

AFP - A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) admitiu nessa quarta-feira que considera "inviável" a presença de espectadores durante os jogos da Eurocopa programados para o Estádio San Mamés de Bilbao devido às restrições impostas pelo governo basco relativas à pandemia.

"A RFEF considera inviável a presença de público em Bilbao devido às condições sanitárias estabelecidas pelo governo basco", afirmou a agência em um comunicado.

"A exigência de vacinar 60% da população do País Basco e do resto da Espanha antes de 14 de junho, ou um valor que não ultrapasse 2% dos leitos do UCIS ocupados pela covid até a data dos jogos, são objetivos impossíveis de cumprir e vão acarretar, portanto, a ausência de público", acrescentou a RFEF.

LEIA MAIS

> Champions League: desfile de craques agora no SBT/TV Jornal

> “As pessoas falam, eu sigo trabalhando”, afirma Vinícius Júnior após vitória do Real Madrid

> City vence Dortmund nas quartas da Champions e leva vantagem para jogo de volta

A Uefa anunciou nesta quarta-feira que vai prorrogar até 28 de abril o prazo para as 12 cidades que vão sediar jogos da próxima Eurocopa (de 11 de junho a 11 de julho) apresentarem um plano para receber público nos estádios.

A vontade da Uefa é ter espectadores em todas as sedes do torneio, que foi adiado em um ano, de 2020 para 2021, devido à pandemia.

Em meados de março, quando a disseminação das variantes mais contagiosas do vírus colocou o continente em alerta, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, surpreendeu ao afirmar que a Eurocopa "não seria disputada com arquibancadas vazias".

Por esta razão, a federação espanhola quis se abster de responsabilidade por tudo o que a confederação europeia decidir.

"A decisão que a Uefa tomar depois de analisado este documento não será da responsabilidade da RFEF, pois já a avisamos sobre isso e fizemos constar", alertou.

Últimas notícias